Projeto Windfloat Atlantic avança para a fase de instalação de turbinas

noticias edp

ferrol fase1

Projeto Windfloat Atlantic avança para a fase de instalação de turbinas

Miércoles 17, Julio 2019

Maior turbina alguma vez colocada numa plataforma flutuante será instalada a partir desta quarta-feira, dando seguimento às operações para instalar o parque eólico ao largo de Viana do Castelo

A instalação da primeira turbina de WindFloat Atlantic na plataforma flutuante arranca esta quarta-feira, 17 de julho, no porto exterior de Ferrol, em Espanha, constituindo um marco importante para o projeto WindFloat Atlantic e para o setor da energia eólica offshore, dado tratar-se da maior turbina alguma vez instalada numa plataforma flutuante.

O fabrico e a descarga (load-out) deste primeiro WindFloat foram conduzidas na semana passada em Fene (Espanha) e a plataforma foi ancorada no cais de Ferrol, onde terá início a instalação da turbina eólica. A montagem irá desenrolar-se ao longo das próximas semanas na preparação das operações offshore, agendadas para o fim do verão, altura em que a estrutura flutuante irá partir rumo ao seu destino final ao largo da costa de Viana do Castelo.

O projeto pertence ao consórcio Windplus, detido conjuntamente pela EDP Renováveis (54,4%), ENGIE (25%), Repsol (19,4%) e Principle Power Inc. (1,2%). As três turbinas que irão compor o parque eólico serão montadas em plataformas flutuantes amarradas ao leito marinho, para uma capacidade instalada total de 25 MW, o equivalente à energia consumida por 60 mil casas ao longo de um ano. Além do mais, esta tecnologia possui enormes vantagens que a tornam mais acessível e económica, incluindo a sua montagem através de gruas terrestres convencionais em terra firme (no porto) e a utilização de métodos de transporte marítimo comuns, tais como rebocadores, em vez de embarcações de instalação offshore dispendiosas.

O WindFloat Atlantic usa tecnologia avançada da Principle Power, que possibilita a instalação de plataformas flutuantes em águas profundas, anteriormente inacessíveis, e onde os abundantes recursos eólicos podem ser aproveitados. O parque eólico estará situado a 20 quilómetros da costa de Viana do Castelo, onde as águas alcançam uma profundidade de 100 metros.

O projeto conseguiu o apoio quer de entidades públicas quer privadas, tendo atraído investimentos de empresas líderes no mercado, bem como o apoio financeiro da Comissão Europeia (através do Programa NER300), do Governo da República Portuguesa e do Banco Europeu de Investimento. Entre os fornecedores que participam neste projeto encontram-se a Principle Power, a joint venture Navantia/Windar, A. Silva Matos Group, Bourbon, assim como o fabricante de turbinas MHI Vestas e o fornecedor de cabos dinâmicos JDR Cables.