edp
Fundo de Acesso à Energia

Estamos empenhados em promover o Acesso à Energia:

Aproximadamente 789 milhões de pessoas ainda não têm acesso à eletricidade e cerca de 3 mil milhões de pessoas dependem de madeira, carvão vegetal, resíduos agrícolas e carvão para cozinhar e aquecer.

O acesso à energia limpa, acessível e confiável é vital para o desenvolvimento social e económico e para impulsionar o crescimento sustentável. É necessário melhorar os meios de subsistência nos países em desenvolvimento, garantindo acesso a água potável, culinária e cuidados de saúde. A energia sustentável também alimenta a agricultura, o comércio e a indústria, criando prosperidade, empregos e oportunidades. Da mesma forma, trata da degradação ambiental e combate as mudanças climáticas.

Por sermos uma utility elétrica de referência e pela nossa vocação de abertura ao mundo e de sustentabilidade, estamos empenhados em promover o Acesso à Energia (A2E – acrónimo de access to energy), nos países em desenvolvimento, concentrando-se em regiões e zonas rurais remotas sem ligação à rede elétrica, contribuindo para quebrar o seu ciclo de pobreza.

Sobre o programa de Fundo de Acesso à Energia (A2E):

Começando como uma iniciativa de Responsabilidade Social Empresarial (RSE), transformou-se no Programa “A2E - Acesso à Energia para o Desenvolvimento”, focado em investimentos sociais, projetos comercialmente viáveis e serviços de consultoria. 

Em 2018, a EDP definiu novas diretrizes estratégicas e uma nova visão para o A2E: promover a energia sustentável para todos, como uma operadora rentável de A2E no mercado emergente rural remoto, concentrando os seus esforços em investimentos em empresas de A2E, complementados com atividades de RSE, nomeadamente, a criação do Fundo A2E, destinado a aliviar a pobreza energética, apoiando projetos sustentáveis e de energia limpa em áreas rurais remotas.

 

balanço do fundo
balanço geral do fundo

3ª edição do A2E

Os projetos desta edição já foram selecionados. Esperamos implementar grandes projetos em Angola, Malawi, Moçambique, Nigéria e Ruanda.

Saiba mais sobre os projetos e fique atento às novidades.

Edições passadas

Saiba mais sobre as edições anteriores do programa Fundo A2E e conheça todos os projetos apoiados pela EDP.

Acreditamos que o futuro é elétrico e renovável e que a sustentabilidade pode fazer a diferença na vida de muitas pessoas que se encontram em locais remotos e sem acesso à energia.

Temos 500 mil euros para investir em projetos sustentáveis e de energia limpa em países em desenvolvimento que ajudem a aliviar a pobreza energética do nosso planeta.

Nesta edição, vamos apoiar projetos que se localizem nestes países: Malaui, Moçambique, Nigéria, Angola e Ruanda.


Áreas de atividade

Os projetos candidatos devem atuar nestas áreas de atividade:

 

Access to energy areas
Áreas de atuação Fundo A2E
Áreas atuação A2E

Fique a conhecer todos os projetos

Energia e negócio

 

OffGridBox em campos de refugiados no Ruanda

Ruanda em 6 campos de refugiados: Kigeme, Mahama, Nyabiheke, Gihembe, Kiziba e Mugomb

Os refugiados e as respetivas comunidades de acolhimento no Ruanda não têm acesso a energia nem a água purificada. Recorrem principalmente a velas e baterias descartáveis para iluminar as suas casas e usam biocombustíveis ou carvão para ferver a água antes de bebê-la. Tudo isto leva à degradação ambiental e a custos elevados.

A OffGridBox irá instalar 6 OffGridBoxes nos 6 campos de refugiados na República do Ruanda, fornecendo aos refugiados uma bateria que funciona a energia solar, 3 luzes led, um carregador de telemóvel e um jerry can limpo. Os clientes poderão recarregar a sua bateria portátil de energia de 40Wh para acender 3 luzes durante 4 horas, carregar o seu telemóvel ou alimentar pequenos dispositivos eletrónicos, além de recolher 5 litros de água purificada de cada vez. Para este pacote, os refugiados pagam apenas uma pequena taxa, seja num modelo de pagamento por cada recarregamento da sua bateria portátil Pay-As-You-Go (PAYG) configurado para cada vez que recarreguem a sua bateria portátil ou através de uma assinatura mensal.

Esta solução reduzirá tempo, esforço e custos e terá benefícios muito positivos para a saúde. O projeto também utilizará parte dos 12 kWh de energia produzidos por dia, para fornecer energia para atividades de uso produtivo, como carpintaria, soldagem, refrigeração e processamento de alimentos. 

Potência instalada: 20,16 kWp (3,36KWp x 6 localizações)
Beneficiários: 12000

Resultados esperados:

  • Fornecer acesso a energia renovável e água limpa a 12000 pessoas 
  • Empregos para 12 BoxKeepers, 6 guardas de segurança, 6 estafetas (24 no total)
  • 24 pequenas empresas criadas, que utilizam a energia OffGridBox - 24 empregados por conta própria
  • Redução nas emissões de CO2 (6 x 15 toneladas por ano), relacionada com a substituição de baterias / velas por baterias alimentadas a energia solar e redução no uso de biocombustíveis usados para ferver água
  • Melhoria da saúde, especialmente de bebés, devido à disponibilidade de água limpa
  • 240 lojas (40 por OffGridBox) a receber rendimento adicional com a venda da nossa água engarrafada
  • Aumento gradual das atividades de geração de rendimento usando energia, para e com a população refugiada e a comunidade anfitriã

Saiba mais sobre o OffGridBox.

 

Koolboks: um modelo sustentável para financiar frigoríficos solares fora da rede para mulheres comerciantes de peixe na Nigéria.

Nigéria, Lagos

O comerciante de peixe típico no mercado de Ijora, na Nigéria, perde 30% da sua mercadoria diariamente devido à falta de refrigeração fiável e acessível. Como a rede elétrica não é fiável, os comerciantes complementam-na com geradores a diesel, que são prejudiciais ao meio ambiente e caros, sendo preciso gastar aproximadamente $4 em combustível de 2 em 2 dias para operar o gerador. A refrigeração solar pode ser uma solução potencial para garantir que os comerciantes de peixe tenham acesso a refrigeração consistente; no entanto, os custos iniciais são proibitivos.

Em junho de 2020, a Koolboks executou um programa piloto para testar a resposta do consumidor aos frigoríficos Koolhome. Esta campanha foi dirigida a mulheres comerciantes de peixe no mercado de Ijora, em Lagos, devido aos muitos desafios que elas enfrentam na conservação do seu peixe e outros produtos extremamente suscetíveis de se estragarem. Ao longo da campanha, a Koolboks registou uma procura elevada pelos frigoríficos KoolHome, auxiliada pelo financiamento PAYG (Pay-As-You-Go) do seu parceiro de financiamento de ativos, o Sterling Bank.

Este projeto tenciona expandir o programa piloto do Mercado de Ijora, fornecendo soluções de refrigeração a preços acessíveis a mulheres comerciantes de peixe e outros produtos congelados (frango, etc.) em Lagos, onde há uma alta procura por produtos de refrigeração a energia solar. O objetivo é capacitar mais de 120 comerciantes de peixe com 150 frigoríficos Koolhome movidos a energia solar em 8 mercados em Lagos

Potência instalada: 15 kWp
Beneficiários: 120 diretos e 150 indiretos

Resultados esperados:

  • Poupança significativa pela substituição de geradores a diesel
  • Melhoria da subsistência de 120 novos clientes e suas famílias
  • Evitar a deterioração de alimentos
  • Catalisar Investimentos - facilitando a entrada de dois importantes parceiros de financiamento: Sterling Bank e Charm Impact

 

Energia, água e agricultura

 

ColdHubs: câmaras frigoríficas movidas a energia solar para mulheres que cultivam e vendem frutas e vegetais frescos, para armazenar alimentos e aumentar o rendimento.

Nigéria, Estado de Delta

Na Nigéria, estima-se que 93 milhões de agricultores, atores da cadeia de abastecimento alimentar, sejam afetados por perdas pós-colheita. Essa deterioração é causada pela temperatura ambiente e humidade elevadas, o que acelera a formação natural de fungos e bactérias que levam à deterioração dos produtos agrícolas. A falta de instalações de armazenamento refrigerado adequadas e bem concebidas, quer nos locais de produção, quer fora destes, em conjunto com o fornecimento de eletricidade limitado e de pouca confiança, não deixa estes pequenos agricultores e vendedores prolongar a vida útil das colheitas.

O projeto tenciona instalar, comissionar, operar e manter 3 ColdHubs - câmaras frigoríficas 100% movidas a energia solar walk-in cold (com dimensões de 3 metros de comprimento, 3 metros de largura e 2 metros de altura) cada um dos quais capaz de conter, armazenar e conservar 3 toneladas de alimentos por dia, em 3 grupos de alto potencial de consumo de alimentos em Asaba, Estado do Delta, Nigéria. Estes locais são mercados ao ar livre de venda a retalho de alimentos, bem como centros de agregação de produtos hortícolas, dominados 100% por pequenas agricultoras e vendedoras a retalho.

As câmaras frigoríficas irão acabar com a deterioração de alimentos, permitindo que as agricultoras e vendedoras armazenem e conservem frutas, vegetais e outros alimentos suscetíveis de se estragarem 24 horas por dia, 7 dias por semana, prolongando a vida útil dos mesmos de 2 dias para 21 dias, aumentando o seu rendimento e tendo mais alimentos nutritivos e seguros disponíveis para consumo local na Nigéria

Potência instalada: 18 kWp
Beneficiários: 300 diretos e 1200 indiretos

Resultados esperados:

  • 3 novos ColdHubs instalados e comissionados, em grandes centros de consumo de alimentos da Nigéria, para atender 300 mulheres de negócios (100 por hub)) 
  • Aumentar o rendimento de 300 mulheres agricultoras, revendedoras e retalhistas em 50% (adicional de US $ 60 / mês) 
  • Criação de 6 novos empregos para mulheres
  • Aumentar a qualidade de 3.285 toneladas de frutas e vegetais frescos (nutrição e segurança alimentar)
  • Evitar a deterioração de 3285 toneladas de alimentos por ano, o que representa 9 toneladas de alimentos poupados por dia
  • Evitar a emissão de pelo menos 57 816 kg de CO2

Saiba mais sobre o ColdHubs.

 

Luwire Wildlife Conservancy: melhorar a qualidade de vida, a educação e a segurança alimentar para a comunidade remota de Manhuri, na província do Niassa, através do fornecimento de infraestruturas básicas que beneficiam de energia solar sustentável.

MoçambiqueL7, Reserva Especial de Niassa

A Luwire está a fazer a transição para um modelo de energia solar sustentável e neutro em carbono para reduzir o impacto ambiental, bem como os custos de operação contínuos. Como parte dessa abordagem, a Luwire fornecerá acesso básico a energia solar à aldeia de Manhuri, uma comunidade remota com uma população de 380 pessoas que, historicamente, não tinha acesso a eletricidade. A Luwire irá melhorar e reconstruir necessidades básicas de infraestrutura para a comunidade, como o antigo posto de saúde que desabou recentemente, bem como construir a área agrícola protegida com cerca, furo de água e centro comunitário.

O fornecimento de energia elétrica à sala de aula permitirá a abertura de aulas noturnas de alfabetização para adultos, bem como cursos artesanais adicionais, oferecendo educação e oportunidades de rendimento, especialmente para mulheres que trabalham nos campos durante o dia. Um incremento da energia para o centro de saúde criará uma luz que potencialmente salvará vidas para emergências noturnas. Também permitirá a existência de um frigorífico para guardar medicamentos e uma central básica de tratamento de água.

Atualmente, esta comunidade participa em práticas ilegais, insustentáveis e ineficientes, como queimadas e agricultura nas margens do Rio Lugenda. Plantações adjacentes a um rio e dentro dos limites de uma área de conservação da vida selvagem constituem uma fórmula para conflitos potencialmente perigosos entre o Homem e vida selvagem, já que os agricultores arriscam as suas vidas para proteger as plantações. Uma UAP (Unidade Agrícola Protegida) irá melhorar a produção das colheitas, garantir o acesso à irrigação durante todo o ano e permitir a diversificação das colheitas e, eventualmente, o cultivo de colheitas comerciais. O centro comunitário ao ar livre alimentado a energia solar será um atrativo adicional para os agricultores trocarem os seus métodos tradicionais por práticas mais sustentáveis e eficientes. Esta área agrícola protegida e movida a energia solar será o projeto piloto, sendo que UAPs equivalentes serão implementadas em mais quatro comunidades dentro da Luwire. Eventualmente, isso irá garantir que todos os agricultores e as suas plantações tenham proteção total e a grande comunidade da Luwire, com mais de 5000 pessoas, beneficie de uma maior segurança alimentar.

Potência instalada: 8,58 kWp
Beneficiários: 380 diretos e 1000 indiretos

Resultados esperados:

Educação:

  • Iluminação consistente na escola, permitindo o ensino a partir das 18h
  • Aumento dos níveis locais de alfabetização de adultos do nível zero para o de leitura e escrita básicas num período de seis meses, começando com uma turma inicial de 30 alunos

Assistência médica:

  • Capacidade de atendimento aos pacientes na clínica local de Manhuri, especialmente à noite, reduzindo a tensão na clínica mais próxima seguinte, que atende mais de 1000 pacientes por ano
  • Capacidade de refrigerar medicamentos e vacinas, permitindo o tratamento de uma gama mais ampla de doenças
  • Acesso a água limpa para limpar feridas e beber
  • Aumentar o número de mulheres a dar à luz na clínica em 15% devido à capacidade de tratar pacientes à noite

UAP:

  • Produção agrícola duplica porque os agricultores podem plantar e apanhar uma segunda colheita na estação seca
  • Redução da taxa de invasão de colheitas por animais selvagens em 80%
  • Redução de 50% na erosão ao longo da margem do rio Lugenda num prazo de três anos após a construção da UAP
  • Aumento da participação em formações agrícolas em 50%
  • A realização de pelo menos 20 eventos comunitários (como casamentos e festivais) no prazo de um ano após a sua conclusão

Saiba mais sobre a Luwire.

painel solar

 

Viva con Agua de Sankt Pauli: abastecimento Sustentável de Água para Catuane

MoçambiqueCatuane – Distrito de Matutuine

Moçambique sofre de um grande nível de pobreza; 44% da população não tem acesso a abastecimento básico de água e 71% da população não tem acesso a saneamento básico. As comunidades nas áreas rurais de Moçambique são as que são afetadas de forma mais negativa pela crise de água. 

Na comunidade de Cassane, no sul de Moçambique (Posto Administrativo de Catuane), existem 350 famílias, incluindo crianças que frequentam a Escola Primária de Cassane, que enfrentam um problema de água no seu dia a dia, bebendo atualmente água que não é segura nem saudável. Nesta área, a procura de água da população depende de fontes naturais de água (como lagoas e rios) que muitas vezes não são saudáveis nem seguras. 

Geralmente, como as mulheres ou as crianças são tradicionalmente as responsáveis por fornecer água às suas famílias, elas precisam de andar quilómetros para chegar à água. Como resultado, a maioria delas perde a oportunidade de estudar. Os desafios diários e o dispêndio de tempo na obtenção de água potável acabam com as oportunidades de muitas pessoas no que toca a terem qualquer outra atividade (por exemplo, passar tempo com a família, geração de rendimento, lazer) e negócios em Cassane.

Felizmente, a parte do mundo que não tem acesso a recursos de água potável é a que mais recebe a energia solar. Portanto, para resolver este problema, a Viva con Agua, juntamente com o seu parceiro Grino, fornecerá uma solução sustentável e acessível, um sistema de dessalinização sem baterias baseado em energia solar. A PVRO (Photo-Voltaic Reverse Osmosis - Osmose Reversa Fotovoltaica) é uma solução adequada para a crise de água em áreas remotas e a tecnologia mais fiável para dessalinização.

A água será fornecida gratuitamente à escola e parte da água produzida será vendida por um responsável a um preço acessível à comunidade local. O projeto não só terá um impacto positivo na saúde, mas as crianças também terão mais tempo para ir à escola e receberão diversos cursos de saúde e sustentabilidade apoiados por materiais educativos.

Potência instalada: 12 kWp
Beneficiários: 1500 diretos e 1000 indiretos

Resultados esperados:

  • Água potável segura e limpa para 2500 pessoas (1500 diretas e 1000 indiretas) nesta comunidade 
  • Um sistema independente de outros recursos de energia e água 
  • 750 alunos poderão obter água gratuitamente e 750 pessoas poderão comprar água potável a um preço acessível 
  • Tempo para os alunos estudarem e para os adultos agregarem valor à sociedade sem gastar uma parte crucial do tempo a encontrar água

Saiba mais sobre o Viva con Agua.

Energia e educação

 

ADPP Angola: energia renovável para formação eficiente de professores em duas Escolas de Formação de Professores em Angola.

Angola, Catabola (Bie province) Menongue (Cuando Cubango)

Para substituir os geradores a diesel com altos custos de combustível e manutenção e alta poluição de CO2, a ADPP pretende mudar para sistemas de energia solar com custos de operação muito baixos e emissões de CO2 muito baixas em duas escolas de formação de professores (TTC). A energia elétrica moderna é imprescindível para o ensino eficiente usando computadores, acesso à internet, TV, capacidade de carregar telefones e outros dispositivos, além de bombeamento de água e luz. Os professores estagiários são pioneiros no desenvolvimento da sociedade. Ao dar-lhes acesso à eletricidade verde, eles levarão soluções de energia solar às comunidades rurais.

Uma das escolas é a TTC da ADPP em Cuando Cubango, no sul de Angola, onde será instalado um novo sistema de energia solar que garantirá uma utilização a longo prazo estimada em + 10 anos. A segunda escola é a TTC em Catabola, Bié, que teve energia solar instalada desde 2012 mas agora precisa de uma melhoria. Atualmente, a escola opera energia a diesel por algumas horas à noite e alguma energia solar durante o dia. O projeto vai testar os equipamentos existentes e substituir as baterias, enviando as atuais para reciclagem.

Com a instalação de sistemas descentralizados de energia solar, que fornecerão energia elétrica constante 24h por dia, o projeto vai melhorar a qualidade das aulas dadas a muitos alunos da zona rural.

Potência instalada: 46,4 kWp
Beneficiários: 480 diretos e 2000 indiretos

Resultados esperados:

  • Duas Escolas de Formação totalmente alimentadas a energia solar 
  • Poupança substancial pela substituição de geradores a diesel
  • Melhor formação de 420 professores de alta qualidade

Saiba mais sobre o ADPP Angola.

teacher writing on a school black board

 

DAPP Malawi: criação de oportunidades de trabalho para jovens vulneráveis em meios rurais por meio da instalação de sistemas de energia Solar sustentável.

Malawi, Mikolongwe, Distrito de Chiradzulu 

Devido a falhas de energia elétrica e às dispendiosas contas de eletricidade na Escola de Formação Profissional de Mikolongwe, é muito importante que aos poucos a comunidade mude a sua dependência energética para a energia solar, que é mais sustentável em comparação com a rede elétrica nacional e outras alternativas poluentes. 

A DAPP (Development Aid from People to People - Ajuda ao Desenvolvimento de Pessoas para Pessoas) Malawi irá construir um sistema de energia solar na Escola de Formação Profissional de Mikolongwe que ajudará a resolver a falhas de energia elétrica na escola e proporcionará um ambiente de aprendizagem e de formação seguro e de boa qualidade aos 500 alunos internos e à comunidade nos arredores da escola. Isso não apenas dará oportunidades de aprendizagem e educação inestimáveis, mas também aumentará o número de horas de formação, melhorará as capacidades de formação, fortalecerá o talento dos alunos e desenvolverá habilidades de TI e acesso à Internet. A comunidade também poderá usar a escola como um centro de aprendizagem sobre energia solar que pode ser expandida para as comunidades vizinhas num futuro próximo.

Assim que a escola conseguir um acesso melhorado à energia solar sustentável, ela tornar-se-á a fornecedora líder de formação de capacidades vocacionais no Malaui, capacitando jovens malauianos para criar emprego, gerar rendimento e reduzir a pobreza. Além disso, a energia solar ajudará a mitigar os efeitos das mudanças climáticas e do aquecimento global.

Potência instalada:24 kWp + 24 kWh armazenamento
Beneficiários: 1000 diretos e 10000 indiretos

Resultados esperados:

  • Melhorar a formação e a educação 
  • Acesso a água potável confiável, limpa e segura na escola e acesso a água para irrigação das hortas escolares 
  • Autossuficiência no fornecimento de eletricidade 
  • Comunidades locais conscientes do potencial da energia solar fotovoltaica para eletrificação e uso produtivo na agricultura

Saiba mais sobre o DAPP Malawi.

man working in electricity

Programa: Fundo de Acesso à Energia

Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7

O Fundo de Acesso à Energia EDP enquadra-se no nosso compomisso com o cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7, definido pelas Nações Unidas, que pretende assegurar o acesso confiável, sustentável e moderno à energia, a um preço acessível para todos.

SDG 7 - affordable and clean energy

Edições passadas

Saiba mais sobre as edições anteriores do programa Fundo A2E e conheça todos os projetos apoiados pela EDP.