a edp
Setor Energético

A Produção é a primeira atividade da cadeia de valor do setor elétrico. A EDP dedica-se à produção de eletricidade a partir de recursos energéticos de origem renovável, como a água, o vento e o sol, e de origem não renovável que provém essencialmente do carvão, gás natural, nuclear e cogeração.

A empresa é o maior produtor de eletricidade em Portugal, o terceiro produtor ibérico e o quinto maior operador privado no Brasil. No mercado eólico, a EDP Renováveis é um dos principais players mundiais.
No final de 2017, a EDP tinha 26.753 MW de capacidade instalada total.

A EDP Renováveis, de produção eólica e solar, opera na Europa, América do Norte e Brasil e, em 2017, atingiu uma capacidade instalada de 10.052 MW, somando mais 624 MW a esta capacidade em relação a 2016.

Na Europa, tem parques eólicos em Portugal, Espanha, França, Polónia, Roménia, Bélgica e Itália e projeto no Reino Unido. Na América do Norte, a EDP Renováveis está presente em três países: EUA, Canadá e México. Na América do Sul, a EDP está presente no Brasil, Perú e Colômbia. Em termos de energia solar a EDP está presente em 3 países – Portugal, Roménia e EUA.

Devido aos impactes nas alterações climáticas e aos protocolos mundiais firmados para combater essas alterações, as fontes renováveis têm ganho um peso significativo nas últimas décadas, e são as mais utilizadas pela EDP.

A estratégia definida pela EDP para o negócio da produção de eletricidade passa pela execução do plano de investimento hídrico atualmente em curso em Portugal e pela criação de oportunidades de crescimento centradas quer no domínio da EDP Renováveis, quer na análise seletiva de oportunidades de expansão internacional.

Em paralelo com a categorização da produção por fontes de energia, importa também distinguir a produção em regime ordinário da produção em regime especial. Em traços gerais, a produção em regime ordinário tem por base fontes de origem térmica ou grandes centrais hídricas e a produção em regime especial é feita através de mini-hídricas, outras fontes de energia renovável ou cogeração.

Em termos de enquadramento regulatório do setor, há especificações diferentes consoante o mercado em questão, e mecanismos distintos de remuneração nos diferentes países em que a EDP opera.

Conheça melhor estes mercados nos portais de cada uma das empresas.

A energia produzida é entregue à rede de transporte, sendo posteriormente canalizada para a rede de distribuição. Esta possibilita o escoamento da energia para os pontos de abastecimento. É nesta fase da cadeia de valor em que estamos perante a atividade de distribuição de energia.

As redes de distribuição de eletricidade são compostas por linhas e cabos de Alta, Média e Baixa tensão. São também parte integrante das redes de distribuição as subestações, os postos de transformação e as instalações de iluminação pública, bem como as ligações necessárias a instalações consumidoras e centros electroprodutores.

A EDP está presente na atividade de distribuição de eletricidade em três geografias, Portugal, Espanha e Brasil, tendo distribuído em 2017, 78.788 GWh, através de uma rede com mais de 246 mil km. Em Portugal esta presença é assegurada em todo o território continental. Em Espanha, a EDP opera em algumas comunidades autónomas, com destaque para a região das Astúrias. No Brasil, está presente nos Estados de Espírito Santo e São Paulo através da EDP Escelsa e EDP Bandeirante, respetivamente.

A estratégia do negócio da distribuição de eletricidade na EDP está focada na implementação de redes inteligentes e serviços relacionados, de forma a atender aos desafios do futuro e tornar-se uma referência na distribuição de energia elétrica.

Durante os últimos anos, a expansão e modernização dos sistemas nas três geografias onde está presente, bem como a expansão da rede de telecontadores nos postos de transformação da rede de distribuição, têm sido fatores marcantes no caminho da EDP. No final de 2017, a companhia tinha mais de 2 milhões de contadores inteligentes instalados na Península Ibérica, com destaque para Portugal onde houve um aumento de 83% da energia distribuída abrangida pela telecontagem.

Chegada a energia ao ponto de abastecimento, esta é vendida pelo comercializador. Em toda a cadeia de valor de eletricidade e do gás, a comercialização é a atividade mais próxima do cliente, sendo responsável pela relação com os consumidores finais.

Na Península Ibérica, a comercialização de eletricidade e gás natural é livre e os consumidores têm o direito de escolher o seu fornecedor. Embora o mercado de energia esteja totalmente liberalizado em ambos os países, existem ainda comercializadores de último recurso. Atualmente, em Portugal, este fornece os clientes que ainda não transitaram para os comercializadores livres e no futuro a finalidade será garantir o fornecimento de energia, nomeadamente a consumidores economicamente vulneráveis.

No Brasil, a comercialização de eletricidade divide-se pelo mercado regulado e livre. Os clientes com consumo a partir de 3 mil kWh são considerados livres, ficando os restantes abrangidos pelo mercado regulado.

A EDP está presente na atividade de comercialização de eletricidade em Portugal, Espanha e Brasil possuindo atualmente uma carteira de 9,8 milhões de clientes nestas geografias. No setor do gás, esta presença é apenas ibérica, onde a EDP tem cerca de 1,5 milhões de clientes.

Para a EDP a gestão da relação com o cliente é crucial, pelo que tem dado forte relevância ao foco no Cliente e à melhoria da qualidade dos serviços prestados. A EDP tem vindo a construir uma posição de notoriedade no mercado de energia, com o objectivo de ser uma empresa envolvente e inovadora, em que os clientes se revêem.

A descarbonização continua a marcar a agenda mundial, com o mundo a assistir à estagnação das emissões de carbono do setor energético. Mas uma estagnação nas emissões não é suficiente para cumprir os objetivos estabelecidos no Acordo de Paris (Dezembro 2015).

O caminho da descarbonização implica uma alteração profunda ao modelo económico baseado em combustíveis fósseis, uma forte aposta em eficiência energética, eletrificação baseada em renováveis e o fomento da inovação.

Relatório e Contas EDP 2018

Tendências Globais de Energia

Saiba mais sobre as tendências globais de energia num mundo em descarbonização.