edp group
EDP prepara regresso a "novo normal" com segurança

A EDP tem vindo a acompanhar a evolução do novo Coronavírus (COVID-19) em todo o mundo e tem vindo a implementar medidas de prevenção e segurança alinhadas com as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), do European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC) e das entidades oficiais de saúde nos diferentes países em que o grupo atua.

No período mais crítico da Situação Pandémica tivemos de suspender algumas atividades, mas garantimos a prestação de serviço à população, com mais de 70% dos colaboradores em teletrabalho e com as equipas operacionais a atuarem, em permanência, no terreno e nos centros de comando.

Agora que o mundo começa, aos poucos, a preparar-se para regressar a uma nova normalidade, estamos já a preparar-nos para esta nova fase da pandemia, com o Plano de Regresso às Instalações EDP. Este pretende prever a reposição da nossa atividade e o regresso dos nossos colaboradores às nossas instalações, de forma faseada. 

A implementação deste plano estará sempre condicionada à legislação em vigor e às decisões, tanto dos governos, como das autoridades nacionais e internacionais de saúde pública nas 19 geografias em que o grupo tem operações. Portugal será o primeiro país em que o plano será implementado, com o regresso de alguns colaboradores já no próximo dia 18 de maio.

 

Como será implementado o Plano de Regresso?

O regresso dos colaboradores às instalações será organizado por três fases e os colaboradores serão segmentados por grupos em alinhamento com as recomendações das autoridades de saúde pública. 

Regressar por fases
Ver Todas Fechar Todas
1. Fase de Transição

A primeira fase prevê uma retoma progressiva e segmentada da atividade regular. O objetivo é retomar a atividade industrial, comercial e serviços fortemente condicionados em teletrabalho, mantendo-se um elevado nível de proteção dos colaboradores, devido ao risco de contágio ser ainda moderado.

2. Fase de monitorização

A segunda fase terá início quando a maioria dos colaboradores puder voltar ao local de trabalho habitual. Esta fase contempla um regresso faseado e progressivo às instalações da empresa dos restantes serviços que se encontrem em teletrabalho, permanecendo ativa até se verificar uma redução do nível de risco da saúde pública para risco muito baixo.

3. Fase "novo normal"

A terceira e última fase corresponde à retoma de toda a atividade para a todos os colaboradores. Será um tempo em que o risco de contágio é residual ou inexistente, devido à existência de imunização de grupo da população e/ou à disponibilização de vacina.

Regressar por grupos
Ver Todas Fechar Todas
Grupo 1

O primeiro grupo contempla os colaboradores sem restrições sociais ou de saúde e cujo regresso às instalações não cause constrangimentos relevantes para a sua vida pessoal e familiar. 

Estes colaboradores são integrados nas instalações a partir da fase de transição.

Grupo 2

Colaboradores que tenham menores a seu cargo ou sejam cuidadores, sem alternativa para garantir os cuidados ao seu agregado familiar, que não conseguem por isso, estar enquadrados no grupo 1. 

Estes colaboradores são integrados nas instalações a partir da fase de transição em caso de extrema necessidade de serviço ou se manifestarem disponibilidade. Na fase de monitorização serão integrados gradualmente.

Grupo 3

O último grupo contempla os colaboradores que fazem parte de grupos de risco ou que apresentem problemas específicos de saúde, mesmo que não diretamente ligados à Covid-19. Estes serão os últimos a regressar às instalações.

Regressar com segurança

Garantir o regresso dos nossos colaboradores com a máxima segurança é a nossa prioridade. Para isso, vamos aplicar medidas de segurança no regresso. 

No regresso às instalações serão implementadas medidas como:

Ícon Análise
Testes de deteção de infeção por COVID-19 e de imunidade
Thermometer
Medição de temperatura
Icone Máscaras
Kits com equipamentos de prevenção e proteção

Para além destas medidas, as instalações também vão ser revistas, para permitir que:

  • os postos de trabalho mantenham um distanciamento mínimo de dois metros, a 360º, entre si;
  • a limpeza e desinfeção dos edifícios seja mais frequente do que era habitual;
  • as reuniões tenham um número limitado de participantes (vamos continuar a fomentar as reuniões em modo remoto).

plano de regresso

EDP em Portugal

Perante o fim do Estado de Emergência em Portugal, e de acordo com as orientações das entidades oficiais, Portugal será o primeiro país em que a EDP atua onde o regresso a uma nova normalidade vai ser implementado.

A preparação das nossas instalações está a decorrer e o regresso dos primeiros colaboradores acontecerá a 18 de maio.

PORTUGAL

Conheça as respostas do grupo EDP à COVID-19 nos principais mercados em que atuamos:

Com este plano, a EDP espera, de forma gradual e sem comprometer a segurança dos seus colaboradores, parceiros e clientes, retomar a normalidade nas suas áreas de negócio. A execução deste plano de regresso às instalações estará sempre condicionada à legislação em vigor e às decisões, tanto do governo, como das autoridades nacionais e internacionais de saúde pública dos vários países onde atuamos.

A definição desta estratégia também seguiu as orientações apresentadas pela Comissão Europeia no “Roteiro Europeu Comum com vista a Levantar as medidas de Contenção da Covid-19”.