EDP faz 4 investimentos e desenvolve 9 parcerias no Free Electrons

notícias edp

EDP faz 4 investimentos e desenvolve 9 parcerias no Free Electrons

Segunda-feira 08, Outubro 2018

SOLshare, do Bangladesh, é a grande vencedora da segunda edição do Free Electrons

O Free Electrons, o programa mundial de aceleração que liga as mais promissoras startups a 10 das maiores elétricas internacionais, terminou a edição deste ano com um impressionante número de 43 projetos-piloto desenvolvidos entre as várias empresas, que vão contribuir para acelerar a revolução energética. A EDP foi a utility que mais se destacou, ao potenciar nove pilotos com startups de todo o mundo, de áreas diversificadas como a inteligência preditiva, o blockchain ou a cibersegurança.

Depois do sucesso da primeira edição, realizada no ano passado, os números do Free Electrons de 2018 são ainda mais surpreendentes: em apenas seis meses, os negócios realizados entre as elétricas e as startups ultrapassaram os 2,7 milhões de euros, um investimento por parte das utilities que representa 38% a mais do que em 2017.

Para além dos negócios fechados durante os seis meses de programa, o quarto e último módulo do Free Electrons terminou com a escolha do grande vencedor de 2018. A SOLshare, a startup do Bangladesh em que a EDP Ventures investiu no mês passado, venceu o prémio de 174 mil euros (200 mil dólares), atribuído na grande final, em Berlim.

O CEO da EDP, António Mexia, acompanhou o pitch final das 15 startups e a escolha do grande vencedor. “O segredo já não é a alma do negócio. Este espirito de partilha de ideias do Free Electrons é essencial num setor que se encontra em plena revolução e a uma velocidade sem precedentes. Foi entusiasmante fazer parte desta semana e ver reconhecido por todos que a nossa equipa foi aquela que deu mais alma a este programa, comprovando uma vez mais o forte espírito de abertura e inovação do grupo EDP”, destaca António Mexia.

O Free Electrons está a apresentar resultados em horizontes temporais cada vez mais curtos: por exemplo, a Sterblue conseguiu fazer uma inspeção técnica a um parque eólico da ESB, com drones totalmente autónomos e ainda durante o programa. Isto permitiu à startup francesa ter conhecimentos para fazer mais pilotos e desenvolver novas competências junto de outras elétricas, algumas das quais, como a EDP, acabaram por investir na empresa.

A elétrica portuguesa investiu em 4 empresas que estão a revolucionar o mercado: Para além da Sterblue, também a grande vencedora SOLshare, que criou, no Bangladesh, uma das mais avançadas soluções peer-to-peer de revenda de energia com base em tecnologia blockchain, conseguiu um investimento de 430 mil euros (500 mil dólares), que vai permitir expandir o seu negócio. Para além destas, duas startups portuguesas fecharam negócio com a EDP: A Loqr, uma empresa de cibersegurança especializada em certificação de identidade, e a Jungle Ai, especializada em inteligência artificial e a desenvolver com a EDP projetos de manutenção preditiva.

“A edição deste ano do Free Electrons foi um verdadeiro sucesso. Encontrámos startups com um enorme potencial para nos ajudarem a mantermo-nos na linha da frente da revolução no setor energético. Com elas, desenvolvemos projetos que nos vão ajudar a levar a inovação para outro patamar, e investimos em startups com muito potencial”, destaca Luís Manuel, administrador da EDP Inovação.

As utilities destacam o trabalho da startup vencedora, que está a revolucionar o mercado de energia do Bangladesh: a SOLshare desenvolveu e comercializa produtos que são instalados em casas com sistemas de geração distribuída, como painéis solares, e que permitem a transação de créditos de energia entre habitações. Estas soluções vão ser instaladas em mais de 5.000 casas do Bangladesh, o país que tem cinco milhões de pequenos sistemas solares em residências e mais de 50 milhões de pessoas que ainda não têm acesso à rede elétrica.

 “Sentimo-nos muito humildes, mas ao mesmo tempo muito orgulhosos por termos vencido. O Free Electrons foi uma experiência intensa de aprendizagem mútua. Queremos agradecer a todos por terem acreditado em nós. A nossa vitória é uma homenagem ao povo do Bangladesh, pela sua resiliência contra todas as adversidades”, diz Sebastian Groh, CEO da SOLshare.

Resultados

A edição de 2018 do Free Electrons superou todos os números do ano passado: 515 candidaturas, de 65 países, duas novas utilities (American Eletric Power e CLP), 15 startups finalistas, mais projetos-piloto e mais investimentos.

Sobre o Free Electrons

O programa foi fundado em 2017 por 8 utilities de 3 continentes, com o objetivo de criar sinergias entre os projetos que estão a ser desenvolvidos por startups inovadoras de todo o mundoe as empresas que lideram o mercado elétrico. Na edição deste ano, juntaram-se mais duas multinacionais. No total, as 10 elétricas presentes têm mais de 80 milhões de clientes espalhados por cinco continentes.

Os membros fundadores do Free Electrons são AusNet Services (Austrália), DEWA (Dubai), EDP (Portugal), ESB (Irlanda), Innogy (Alemanha), Origin Energy (Austrália), SP Group (Singapura) e Tokyo Electric Power Company (Japão). Na edição deste ano, a American Electric Power (EUA) e a CLP (Hong Kong) juntaram-se ao programa, que é acelerado pela portuguesa Beta-i.

As 15 startups finalistas são Adaptricity (Suíça), EQuota (China), Fresh Energy (Alemanha), Greenbird (Noruega), GridCure (EUA), GridWatch (Irlanda), Howz (Reino Unido), Jungle.ai (Portugal), Kinsensum (EUA), Loqr (Portugal), Orison, Relectrify (Austrália), SOLshare (Bangladesh), Sterblue (França), Verv (Reino Unido).

O programa começou a edição de 2018 com um bootcamp em Lisboa, em que participaram 30 statups, seguido de um primeiro modulo em Sydney/Austrália, onde foram desenvolvidos os primeiros projetos-piloto. No segundo módulo, em Sillycon Valley, as parcerias entre utilities e startups aprofundaram-se, e o resultado final foi apresentado no terceiro e último modulo, em Berlim, potenciado pela Innogy.