3ª edição do Free Electrons recebe 481 candidaturas

notícias edp

3ª edição do Free Electrons recebe 481 candidaturas

Quinta 28, Fevereiro 2019

Programa mundial de que a EDP é fundadora recebe candidaturas de startups de 60 países, 21 são portuguesas. Vencedora vai receber 200 mil dólares na final em Lisboa.

Acabaram de fechar as candidaturas para o Free Electrons 2019, o primeiro programa global que liga as mais promissoras startups a gigantes do setor de energia. A edição deste ano recebeu 481 candidaturas, de 60 países diferentes. Os Estados Unidos, com 64 candidaturas, a Alemanha, com 30, e o Reino Unido, com 25 candidaturas, são os países com maior contributo. Mas países como Espanha (24), Portugal (21), Brasil (20) ou Índia (19) também têm uma forte representação.

18% das candidaturas dedicam-se à área da gestão de energia, 14% de inovação digital, 14% são ligadas à produção de energia e 9% do campo das redes de distribuição inteligentes.

Este ano, o programa teve apenas 10% de candidaturas repetidas face aos anos anteriores, o que significa uma taxa de 90% de novas candidaturas. Estes números demonstram que o Free Electrons é cada vez mais um programa verdadeiramente global, focado nas possibilidades de desenvolver projetos e parcerias entre empresas de todo o mundo. Desde 2017, recebeu mais de 1400 candidaturas e já foram desenvolvidos negócios que geraram mais de sete milhões de euros, em contratos assinados entre as 27 startups e 10 utilities.

No caso da EDP, uma das fundadoras deste programa, foram desenvolvidos oito projetos-piloto e feitos investimentos em 4 startups, só na edição do ano passado. Juntas, as 10 utilities do setor energético que fazem parte do programa têm, juntos, cerca de 80 milhões de clientes e estão presentes em mais de 40 países.

Objetivos

A transformação digital está a chegar a cada vez mais indústrias, com a integração da tecnologia digital em todas as áreas de negócio, alterando a forma como as empresas operam e entregam valor aos seus clients. O Free Electrons foi desenhado a pensar nessa revolução, mas também para promover uma mudança cultural na forma como as grandes empresas enfrentam o status quo, questionam os modelos de negócio atuais e apostam nas novas abordagens de negócio.

As startups escolhidas para o Free Electrons ganham notoriedade nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia, através dos módulos do programa nestes continentes e pelo contacto com as utilities que fazem parte do programa. Cada módulo é desenvolvido para facilitar os contactos e as oportunidades de negócio entre os concorrentes e as gigantes do setor elétrico, que desenvolvem projetos, investimentos e outras relações comerciais.

“Não podíamos estar mais satisfeitos com as candidaturas que recebemos, com 90% das candidaturas a serem de novas startups que querem participar no Free Electrons. Estamos a conseguir atrair startups inovadoras e muito interessantes, que querem mudar o panorama do setor da energia”, destaca Luís Manuel, administrador da EDP Inovação.

Estrutura do programa

Tal como no ano passado, a edição de 2019 do Free Electrons vai dividir-se em três módulos mundiais o primeiro, em Columbus, no Estado norte-americano do Ohio, em maio; o segundo em Hong Kong, na China, em junho; e o terceiro e último módulo vai realizar-se em Lisboa, em setembro, onde será conhecido o grande vencedor, que receberá o prémio de 200 mil dólares.

Empresas participantes no Free Electrons

Os membros fundadores do Free Electrons são a Ausnet Services (Austrália), DEWA (Dubai), EDP (Portugal), ESB (Irlanda, Innogy (Alemanha), Origin Energy (Austrália), SP Group (Singapura) e Tokyo Electric Power Company (Japão). Desde a edição do ano passado que a American Electric Power (EUA) e a CLP (Hong Kong), se juntaram ao programa. O Free Electrons é apoiado pela portuguesa Beta-i.

Para mais informações, visite: www.freetheelectron.com