edp news

EDP investe valor mais alto de sempre em startups e anuncia primeiro exit

Terça-feira 04, Fevereiro 2020
Media

EDP Ventures investiu mais de 6 milhões de euros em 2019, num total de 16 operações realizadas em startups de cinco países. Redes elétricas inteligentes e inovação digital foram as áreas de maior aposta.

A EDP Ventures, o braço de Venture Capital da EDP, fechou o ano de 2019 com um investimento de mais de 6 milhões de euros, num total de 16 operações concretizadas em startups de cinco países: Portugal, Espanha, Holanda, Brasil e Israel. É o maior valor de sempre investido pela empresa num único ano.

A fechar 2019, a EDP Ventures concluiu investimentos em novas startups nas áreas da inovação digital, mobilidade elétrica e redes inteligentes.

A Energyworx, startup holandesa de gestão de dados que apoia as empresas de serviços públicos nos processos de transição energética, recebeu financiamento para ganhar escala e acelerar o crescimento internacional nos Estados Unidos da América e na Europa. Também a Net2Grid, startup de análise de dados igualmente sedeada na Holanda, recebeu investimento da EDP Ventures. A empresa desenvolveu uma tecnologia que permite aos clientes das utilities receber informação em tempo real sobre o consumo de energia dos seus equipamentos.

As portuguesas Effizency (antiga Save2Compete), Drivit e Hypelabs também receberam financiamento da EDP Ventures em 2019, as duas últimas em co-investimento com a Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD). A Effizency,que resultou de um spin-off do Grupo EDP, criou uma solução tecnológica para as utilities ajudarem as PME a reduzir a fatura da energia através da adoção de soluções de eficiência energética. Já a Drivit desenvolveu uma app telemática para ajudar empresas e condutores a determinar o seu estilo de condução e comportamento padrão, permitindo, entre outras aplicações, o mapeamento de viagens ou a determinação de perfis mais propícios a utilizar um veículo elétrico. Por fim, a Hypelabs desenvolveu um SDK (software development kit) que permite a comunicação entre diversos dispositivos sem recurso à internet, através de uma rede mesh, aplicável a todo o tipo de objetos e a qualquer sistema operativo.

O ano de 2019 ficou também marcado pelo primeiro exit realizado a 100% na Presenso, startup israelita que desenvolveu uma solução de machine learning para manutenção preditiva de ativos, ferramenta essencial para empresas como a EDP, cujos ativos, quando parados para manutenção, representam perdas significativas.

O último ano serviu ainda para consolidar a atividade da equipa de investimentos no Brasil (recém-criada em 2018), com a concretização de três novos investimentos em empresas locais: a Dom Rock, empresa que desenvolveu uma plataforma para, com recurso a inteligência artificial, capturar e analisar dados não estruturados; a Fractal, empresa de inteligência artificial para gestão de recursos hidrológicos; e a Voltbrás, startup que desenvolveu uma plataforma de recarga de veículos elétricos.

Para Luís Manuel, administrador da EDP Ventures, 2019 foi muito positivo, não apenas pelo facto de a EDP Ventures ter alcançado um valor de investimento recorde, mas também pela qualidade e pelo potencial das startups nas quais a empresa investiu.

“Foi um ano excelente ao nível da nossa atividade de investimentos. Temos mais oito startups portuguesas no portefólio, o que demonstra a qualidade do ecossistema nacional e a aposta contínua da EDP. Iniciámos a atividade de investimento com equipa local dedicada no Brasil e lançámos as bases para fazer o mesmo em Espanha a partir de 2020. E fizemo-lo sem prejudicar a vocação global da EDP Ventures, como demonstra a origem de diversas startups do nosso portefólio. Realizámos ainda o nosso primeiro exit, que permitiu um retorno financeiro bastante atrativo. Não menos importante, 2019 foi o ano em que melhores resultados tivemos ao nível do estabelecimento de relações de negócio entre as startups e as unidades de negócio da EDP, contribuindo para o seu sucesso, o que nos deixa muito satisfeitos, uma vez que esse é um dos objetivos estratégicos da EDP Ventures”, explica Luís Manuel.

Em 2020, a EDP Ventures pretende lançar um veículo de investimento em Espanha em colaboração com entidades públicas nacionais e regionais e tem 5 milhões de euros para alocar aos melhores projetos. Neste âmbito, já estão fechados acordos para o desenvolvimento de parcerias com o Centro para o Desenvolvimento Tecnológico Industrial (CDTI) e o Governo regional das Astúrias para co-investimento.

O ano de 2020 continuará a ser marcado pelo acompanhamento e desenvolvimento das empresas investidas, sendo que o portefólio de investimento apresenta atualmente interessantes perspetivas de crescimento e valorização no curto prazo, com novas rondas de financiamento em discussão e preparação.

As áreas prioritárias para investimento estão alinhadas com o negócio do grupo EDP e dividem-se entre energias limpas, soluções de armazenamento de energia, redes inteligentes, inovação digital e soluções ligadas aos clientes. Desde que foi criada em 2008, a EDP Ventures já investiu mais de 36 milhões de euros em 34 startups.