EDP R e ENGIE ganham contrato para projeto eólico offshore no Reino Unido

notícias edp

139657_201401061517581328.jpg

EDP R e ENGIE ganham contrato para projeto eólico offshore no Reino Unido

Segunda-feira 11, Setembro 2017
EDP Renováveis
Energias renováveis

Consórcio assegura Contrato por Diferença (CfD) de 15 anos para a entrega de 950 MW de geração eólica offshore no valor de 57,5 £/MWh.

A EDP Renováveis e a ENGIE orgulham-se de poder anunciar a adjudicação à Moray Offshore Windfarm (East) Limited, joint venture atualmente detida pela EDPR (77%) e pela ENGIE (23%), de um Contrato por Diferença (CfD)[1] de 15 anos para a entrega de 950 MW de geração eólica offshore no valor de 57,5 £/MWh (em termos reais de 2012). O contrato foi adjudicado pelo Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial (“BEIS”) na sequência do seu último leilão de CfD.

A EDPR e a ENGIE estão a desenvolver conjuntamente este projeto localizado ao largo da costa nordeste da Escócia. Após a conclusão da fase de desenvolvimento e da seleção de todos os parceiros e fornecedores para as várias etapas da construção e operação, o projeto avançará para a fase de construção. A conclusão da obra e o início da operação comercial estão previstos para 2022.

De acordo com João Manso Neto, CEO da EDPR, "com o anúncio de hoje, a EDPR aumenta as suas opções de crescimento na área da energia eólica offshore num mercado atraente, melhorando e diversificando assim as soluções de crescimento de lucros a longo prazo da empresa, ao mesmo tempo que mantém um perfil de risco equilibrado.

O empenho continuado da EDPR no mercado eólico offshore do Reino Unido ao longo da reforma do mercado da eletricidade e na transição para os leilões de CfD permitiram uma dramática redução de custos, de 150 £/MWh em 2014 para 57,5 £/MWh hoje. 

Este leilão demonstrou a real evolução da redução de custos e o nosso resultado mostra o quão acessível a energia eólica offshore pode ser em comparação com outras tecnologias, incluindo nova geração térmica. O Reino Unido precisa de mais infraestrutura de geração com baixa emissão de carbono para manter a segurança do abastecimento face a um futuro cada vez mais incerto. A EDPR demonstrou o que pode ser conseguido neste local. É do interesse do Reino Unido permitir-nos continuar este sucesso noutros locais.”

Wilfrid Petrie, CEO da ENGIE no Reino Unido e Irlanda, disse:

Estamos muito satisfeitos com o facto de este CfD ter sido adjudicado ao parque eólico offshore de Moray East, o que representa um importante passo para a evolução deste projeto. Este vai ser o primeiro projeto eólico offshore da ENGIE no Reino Unido, e complementa o nosso crescente portfólio global de energia eólica offshore, com projetos em França, Portugal e Bélgica, assim como as nossas atuais operações de renováveis no Reino Unido.

A ENGIE está empenhada em investir em soluções de energia sustentáveis e serviços inovadores no Reino Unido, incluindo na geração a partir de fontes renováveis. Moray East vai representar um importante contributo para ajudar o Reino Unido a cumprir os seus objetivos de descarbonização, e também vai suportar a ambição da ENGIE de que 25% do seu portfólio global de energia seja renovável até 2020.”

Dan Finch, Diretor Geral da Moray Offshore Renewables afirmou:

O sucesso da Moray East neste leilão vai permitir-nos trazer um projeto eólico offshore de alta qualidade e de alto valor para o Reino Unido, e quero desde já agradecer a todas as organizações, indivíduos e comunidades ligadas ao Moray Firth com as quais trabalhámos para atingir esta meta fulcral.

A Moray East também traz importantes oportunidades económicas à nossa cadeia logística. Inovação e cooperação permitiram a redução de custos que assegurou o sucesso neste leilão. A Eletricidade da Moray East será produzida ao custo mais baixo de qualquer parque eólico offshore no Reino Unido, com excecionais vantagens para os consumidores.”

Notas

A Moray Offshore Windfarm (East) Ltd (conhecida como “Moray East”) é detida em 76,7% pela EDPR — www.edpr.com e em 23,3% pela ENGIE — www.engie.com

O desenvolvimento de Moray East começou em 2010 com a EDPR como principal promotora da joint venture à qual foram atribuídos direitos de desenvolvimento para a Zona 1 da 3.ª ronda de desenvolvimento eólico offshore do Reino Unido.

Em 2014, o governo escocês concedeu autorização para:

  • Construção e operação de 1116 MW
  • Altura máxima à ponta da lâmina da turbina: 204 m (669 pés)
  • Distância mínima da costa: 22 km (13,5 milhas)
  • Aproximadamente 100 turbinas

O CfD prevê a capacidade de 950 MW, suficiente para satisfazer as necessidades energéticas médias de mais de 950.000 lares britânicos. (assumindo 3.300kwhr p.a)

Sobre a EDP Renováveis (EDPR)

A EDP Renováveis (Euronext: EDRP) é líder mundial no sector das energias renováveis e o quarto maior produtor mundial de energia eólica. Com um pipeline de desenvolvimento sólido, ativos de primeira classe e capacidade operacional que é líder de mercado, a EDPR registou nos últimos anos um desenvolvimento excecional e está atualmente presente em 12 mercados (Bélgica, Brasil, Canadá, França, Itália, México, Polónia, Portugal, Roménia, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos). A Energias de Portugal, S.A. (“EDP”), principal acionista da EDPR, é uma empresa global de energia e líder na criação de valor, inovação e sustentabilidade. A EDP integra o Índice de Sustentabilidade Dow Jones há oito anos consecutivos.

Para mais informações, visite www.edpr.com.

Sobre a ENGIE

A ENGIE está empenhada em enfrentar os grandes desafios da revolução energética, rumo a um mundo mais descarbonizado, descentralizado e digitalizado. O objetivo do Group é tornar-se líder deste novo mundo da energia, apostando em três atividades-chave para o futuro: geração com baixo nível de emissão de carbono, sobretudo a partir de gás natural e energias renováveis; infraestruturas energéticas; e soluções eficientes adaptadas a todos os seus clientes (indivíduos, empresas, territórios, etc.). Inovação, soluções digitais e satisfação do cliente são os princípios orientadores do desenvolvimento da ENGIE.

A ENGIE está presente em cerca de 70 países, emprega 150 000 pessoas em todo o mundo, e alcançou receitas de 66,6 mil milhões de euros em 2016. O Grupo está cotado nas bolsas de valores Paris e Bruxelas (ENGI) e encontra-se representado nos principais índices financeiros (CAC 40, BEL 20, DJ Euro Stoxx 50, Euronext 100, FTSE Eurotop 100, MSCI Europe) e não-financeiros (DJSI World, DJSI Europe e Euronext Vigeo Eiris - World 120, Eurozone 120, Europe 120, France 20, CAC 40 Governance).

No Reino Unido, o Grupo ENGIE é líder no setor da energia e serviços, empregando 17 000 pessoas distribuídas por três grandes áreas: geração e fornecimento de energia, gestão de instalações e regeneração de lugares e comunidades.

Para mais informações, visite www.engie.com

Sobre a Moray Offshore Windfarm (East) Ltd, (conhecida como “Moray East”)

Em 2009, a Moray Offshore Renewables Ltd obteve os direitos de desenvolvimento de geração eólica offshore na Zona 1 (Moray Firth) da 3.ª ronda de licenciamento de energia eólica offshore do Reino Unido.  Após exame inicial da zona, verificou-se haver menores condicionalismos ao desenvolvimento no lado este do que no lado oeste, por isso a zona foi dividida em duas partes: as áreas de desenvolvimento Este e Oeste.   Isto permitiu que o desenvolvimento do Moray Este arrancasse em 2010. 

A Moray East recebeu autorização do governo escocês para construir e operar 1116 MW de geração eólica offshore em 2014.  A autorização de princípio de planeamento foi concedida pelo concelho de Aberdeeshire para a infraestrutura elétrica onshore necessária para ligar o parque eólico à rede de distribuição de eletricidade do Reino Unido. 

A Moray East é detida em 76,7% pela EDPR e em 23,3% pela ENGIE.

[1] https://www.gov.uk/government/collections/electricity-market-reform-cont...