Programa do Fundo de Acesso à Energia
Projetos 2018/2019

Estamos empenhados em promover o Acesso à Energia.

A edição de 2018/2019 tem um orçamento de 450.000€. Os projetos submeteram candidaturas a financiamentos de  € 25,000 a € 100,000.

O Fundo assumirá os custos do projeto: até 75% do total, para entidades sem fins lucrativos; e até 50% do total, para entidades com fins lucrativos.

Conheça abaixo os projetos selecionados.

Promotor do Projeto:

Co-operative Bank Foundation

Quénia
Províncias de Marsabit, Isolo e Kwale

A agricultura continua a ser uma atividade económica importante no Quénia, com grande potencial para mitigar a pobreza. Mas precisa de ser transformada pela ciência e tecnologia, para garantir a produção de produtos competitivos de alta qualidade.

A Fundação do Co-operative Bank criou parcerias com 7 escolas, em áreas áridas e semiáridas do Quénia, para introduzir estufas que funcionam com energia solar, como parte dos Clubes de Agronegócios para estudantes. As estufas significam uma oportunidade para os alunos de aprender e aplicar novas técnicas na agricultura e de desenvolver competências de empreendedorismo e gestão de negócios.

As culturas incluirão vegetais e frutas, que serão usadas para melhorar o nível de nutrição e fornecimento de alimentos da dieta escolar. O excedente será vendido nos mercados locais e os fundos podem ser usados em projetos inovadores propostos pelos estudantes, seguindo um modelo “ganhe enquanto aprende”.

Potência instalada:
60-100 kWp

Beneficiários:
6.000 diretos e 10.000 indiretos

Resultados esperados:

  • Empresas de agronegócio instaladas em 7 escolas públicas
  • Segurança alimentar e nutrição para alunos
  • Transmissão do conhecimento em tecnologia aplicada à agricultura e gestão de negócios
  • Rendimento proveniente das vendas de excedentes para os alunos
  • Acesso a programas de orientação para alunos

Status - julho de 2020:

  • Todas as sete escolas têm estufas funcionais alimentadas a energia solar e equipadas com sistemas de irrigação eficientes.
  • No conselho de Isiolo, foram instalados 3 sistemas de irrigação solar e 5 estufas, em 3 escolas selecionadas. Plantou-se uma variedade de culturas, incluindo espinafre, tomate, batata, couve e beterraba. Os vegetais estão a ser usados para melhorar a nutrição da dieta escolar. Isso também permitiu poupanças, que as escolas reinvestem no projeto da estufa.
  • No condado de Kwale, foram instalados sistemas de irrigação solar e 5 estufas, nas 3 escolas-alvo. As escolas produziram culturas de tomate, pimento e espinafre.
  • Em Marsabit, na escola selecionada, foram instalados o sistema de irrigação solar e 2 estufas. Os alunos plantaram tomate e espinafre nas duas estufas.
  • A ação de formação em empreendedorismo e gestão empresarial decorreu em todas as escolas. 
  • Taxa de execução: 100%*

Saiba mais sobre a Fundação do Co-operative Bank.

Promotor do projeto:

Girl MOVE

Moçambique
Marrere, distrito de Nampula

Em Moçambique, um dos países mais pobres do mundo, 58% da população tem menos de 19 anos. Embora 94% das raparigas passem pela escola primária, apenas 24% continuam na escola secundária, 10% completam a secundária e apenas 1% das raparigas frequenta a Universidade.  Quase metade das raparigas (48%) casam e têm o seu primeiro filho (40%) antes dos 18 anos e as raparigas moçambicanas têm 70% de probabilidade de se tornarem mães solteiras e terem filhos dependentes antes dos 35 anos. Este é um ciclo de pobreza.

A Girl MOVE está a investir no efeito multiplicador da educação das raparigas e no treino de liderança. O projeto "Energia para um futuro melhor" tem como objetivo exponenciar o impacto social dos programas da Girl MOVE Academy, fazendo do Campus uma referência em termos de sustentabilidade, com um sistema solar fotovoltaico com baterias destinado a servir a toda a infraestrutura.

O projeto também incluirá a construção da sala "Turn on the Talent" (Ligar o Talento), equipada com 20 computadores portáteis e capaz de funcionar de dia e de noite, de modo a atender às necessidades de treino do talento feminino, dentro das comunidades.

Potência instalada:
30 kWp

Beneficiários:
1.230 diretos e 6.000 indiretos

Resultados esperados:

  • Aumentar o número de horas de treino
  • Melhorar as condições de formação
  • Energizar o talento
  • Desenvolver competências de TI e acesso à internet

Status - março de 2020:

  • A Academia Girl Move utiliza energia limpa 
  • Foi concluída a construção e o equipamento da sala de talentos, com capacidade para cerca de 100 pessoas em pé e cerca de 50 sentadas. 
  • Foram concluídos os workshops de "formação em TI" 
  • Taxa de execução: 100%

Saiba mais sobre a Girl MOVE e o EcoCampus.

 

Girlmove 1

Promotor do projeto:

UN-Habitat

Moçambique
Distrito de Namacurra, Província da Zambézia

O perfil de risco de Moçambique coloca o país entre os mais expostos aos efeitos das alterações climáticas e aos riscos naturais na África. A combinação dos riscos naturais extremos com a alta vulnerabilidade geral e o isolamento de povoações humanas nas comunidades rurais aumenta os impactos dos desastres, que estão a causar a perda de muitas vidas humanas anualmente.

A Zambézia foi fortemente atingida durante as chuvas de janeiro a março, em 2015. Devido a inundações, milhares de famílias foram realojadas em áreas sem acesso a infraestruturas e serviços públicos. Um projeto recente da UN-Habitat (2015 a 2018), financiado pela UNICEF, forneceu apoio técnico para a sólida reconstrução de escolas, conforme solicitado pelo Governo de Moçambique. 

O objetivo do projeto 'Escolas Capacitadas no Projecto Distrital de Namacurra' é selecionar 2 escolas das 7 já construídas em Namacurra para lhes fornecer uma fonte de energia renovável, neste caso, painéis solares.

O acesso a uma fonte de energia renovável transformará o edifício das escolas numa infraestrutura de aprendizagem de maior qualidade para alunos e professores. Além disso, os edifícios das escolas vão também ser fornecedores de serviços de eletricidade para a comunidade à volta da escola, permitindo também a implementação de Sistemas de Alerta Antecipado. Desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC), estes sistemas são baseados no uso de telefones móveis como ferramentas de alerta para as comunidades.

O sucesso desta iniciativa e as lições aprendidas com este Projeto Piloto permitirão uma aplicação do projeto noutras escolas reconstruidas após desastres, em Moçambique.

Potência instalada:
3,84kWp

Beneficiários:
1.300 diretos e 7.000 indiretos

Resultados esperados:

  • 12 salas de aula em 2 escolas com eletricidade
  • Acesso da comunidade à educação e horário escolar alargado para adultos
  • Postos de carregamento de energia nas escolas, gerando receitas para as escolas
  • Acesso a TI e à Internet
  • Instalação de sistemas de aviso precoce de catástrofes
  • Reforço da capacidade da comunidade na prevenção de desastres

Status - novembrode 2020:

  • Foram selecionadas duas escolas para atribuição de sistemas solares fotovoltaicos
  • Foi efetuada uma consulta pública à comunidade 
  • Efetuou-se a adaptação do espaço escolar com a instalação de portas e janelas, para assegurar a segurança dos painéis solares e do sistema elétrico
  • Instalação e comissionamento do sistema fotovoltaico
  • Efetuou-se a formação em gestão de risco, sistemas de alerta precoce e manutenção do sistema solar
  • A inauguração teve lugar depois de um adiamento, decorrente das medidas preventivas relativas à COVID-19
  • Taxa de execução: 100%

Saiba mais sobre o UN-Habitat.

UN HABITAT

Promotor do projeto:

Fundación Energía Sin Fronteras

Malawi
Chezi, Distrito de Dowa

O Centro de Reabilitação de Santa Maria, em Chezi, no Malauí, oferece alojamento e assistência médica, 24 horas por dia, a 130 órfãos, de pais com SIDA, e aos seus cuidadores, bem como assistência médica e educacional a um grande número de outras crianças e idosos vulneráveis da população vizinha.

O Centro utiliza a rede elétrica nacional que é muito deficiente. Os cortes de energia, que podem ir de 4 horas a vários dias, são geralmente resolvidos com um gerador a diesel, mas os custos operacionais são insustentáveis.

O projeto irá instalar cinco sistemas independentes de fornecimento de energia fotovoltaica em cinco edifícios do complexo e um sistema solar adicional para o bombeamento de água.

Potência instalada:
25,9 kWp

Beneficiários
780 diretos e 2.000 indiretos

Resultados esperados:

  • Auto-suficiência energética do Centro de Reabilitação de Santa Maria
  • Assistência médica e educacional ambulatória, segura e sustentável, para crianças e idosos vulneráveis da população
  • Irrigação para hortas

Status - julho de 2020:

  • Foi concluído o projeto técnico do sistema solar 
  • Instalação e comissionamento do sistema fotovoltaico
  • Cinco dos edifícios do Centro utilizam energia solar
  • Foram efetuadas sessões de formação em manutenção do sistema
  • Efetuou-se uma angariação extra de financiamento junto de terceiros
  • Taxa de execução: 100%

Saiba mais sobre Fundación Energía Sin Fronteras.

ESF 1
ESF2

Promotor do projeto:

SAVIC Africa

Quénia
Campo de Refugiados de Kakuma

O Campo de Refugiados de Kakuma, em Turkana West, aloja mais de 186,000 refugiados, de cerca de 14 países. A população atual é principalmente do Sudão do Sul (50%), da Somália (26%) e dos países africanos dos Grandes Lagos. A maioria dos refugiados são jovens e aspira a perspetivas de vida mais elevadas e, neste contexto, a eletricidade sempre foi um grande desafio. Kakuma não tem sistemas de energia de confiança focados em ajudar as pequenas empresas a crescer. 

O projeto Okapi Green visa melhorar os meios de subsistência produtivos e os padrões gerais de vida, fornecendo eletricidade de qualidade, acessível e de confiança e ligação à internet aos refugiados e às comunidades anfitriãs, em Kakuma. Os principais grupos alvo são empresas, centros administrados pela comunidade e famílias no campo de refugiados de Kakuma.

O Okapi Energy + é uma mini rede que fornecerá eletricidade aos clientes, de acordo com as suas necessidades de consumo. A mini rede espalhar-se-á num raio de 1 km do local de origem, ligando 70 clientes residenciais de baixo arrendamento, 50 clientes residenciais de médio arrendamento, 30 clientes residenciais de alto arrendamento e 50 instituições comerciais.

Potência instalada:
20 kWp

Beneficiários:
800 diretos e 18.000 indiretos

Resultados esperados:

  • 200 clientes com fornecimento de eletricidade permanente (800 beneficiários diretos)
  • Acesso à eletricidade (saúde, educação, geração de rendimento)
  • Criação de emprego
  • Capacitação empresarial
  • Potencial de replicação, com maior consciencialização entre os refugiados de Kakuma

Status - novembro de 2020:

  • Foram realizados levantamentos técnicos preliminares 
  • Foram identificados aproximadamente 200 potenciais clientes
  • Efetuou-se a identificação e a procurement de equipamentos e abastecimentos para a mini rede solar. 
  • Organizaram-se e sessões de sensibilização da comunidade
  • Construiu-se a central de energia e instalou-se a mini rede solar
  • O licenciamento governamental está pendente, devido às medidas preventivas da COVID-19
  • Taxa de execução: 60%

Nota: A taxa de implementação foi calculada com base nas atividades específicas dos objetivos de cada projeto. A maioria desses objetivos é definida na fase de aquisição e de implementação dos sistemas de energia.

Saiba mais sobre SAVIC Africa.