sustentabilidade

Uma gestão eficiente de recursos naturais exige uma alteração do modelo económico em que vivemos. A economia circular surge como uma aposta na redução geral do consumo de recursos naturais e representa também uma oportunidade de desenvolvimento de novos negócios. Para nós, a Economia Circular constitui o caminho certo, e na EDP estamos a implementar esta visão em todas as suas unidades de negócio. 

Processo de Economia Circular:
 

economia circular no grupo edp
Economia circular

Para progredir na internalização do conceito de economia circular, a EDP tem trabalhado soluções para que os seus principais materiais residuais possam ser aproveitados como subproduto, matéria-prima de outra indústria. 

Conheça alguns exemplos:

economia circular

Reutilizar e reciclar turbinas eólicas

A tecnologia eólica está em constante evolução. Por esse motivo, turbinas que há poucos anos eram construídas com tecnologias e componentes específicos, hoje são substituídas por outras maiores, diferentes, e mais eficientes.  

Por exemplo, em 2019, devido à re-potenciação de um parque eólico em Espanha (Zas), 80 turbinas foram desmanteladas das quais 22 foram vendidas e as restantes entregues a um gestor autorizado para a sua recuperação. Para além disso, 30 pás, 30 “powertrains” e muitos outros componentes foram guardados para futuro uso próprio em parques com a mesma tecnologia. 

óleos

Adeus óleos minerais. Bem-vindos, óleos vegetais

Nas redes de distribuição tem-se vindo a promover a substituição de óleos minerais por óleos vegetais, com baixo nível de toxicidade e melhor capacidade de biodegradação, com resultados satisfatórios na mitigação do impacte ambiental.  

cinzas

Reutilizar as cinzas das centrais térmicas

Caso de Portugal:

Na Central Térmica de Sines, implementámos uma tecnologia que impede que as cinzas se propaguem pela atmosfera e provoquem fenómenos como as chuvas ácidas. Trata-se da instalação de placas no circuito dos fumos que atraem as cinzas e as encaminham para silos de armazenamento.  

Depois, em vez de serem simplesmente depositadas em aterros, estas cinzas são reaproveitadas, enchendo 15 a 20 camiões de cinza diariamente, para a área da construção. Por exemplo, os estádios de futebol em Portugal, feitos para o Euro 2004, foram construídos com cinza proveniente desta central. Conheça todo este processo na nossa história “Centrais a carvão: uma luta pelo equilíbrio”

Caso do Brasil:

Em junho de 2019, EDP e Eneva entregaram a primeira estrada do Ceará, no Brasil, que reutiliza cinzas de carvão na pavimentação. Esses resíduos são subprodutos da geração de energia elétrica do Complexo Termelétrico de Pecém, no Ceará, composto pela UTE Pecém I (sob a gestão da EDP Brasil) e pela UTE Pecém II (administrada pela Eneva). Conheça mais sobre este projeto
 

resíduos

Reutilizar e reciclar os resíduos

Nas atividades de construção, operação e manutenção de instalações é privilegiada a reutilização e, no momento do descarte, é sempre procurada como primeira solução o seu encaminhamento para reciclagem. Além disso, são estabelecidos contratos com operadores licenciados que encaminham os resíduos para destino preferencial de valorização. 

Uma gestão eficiente dos recursos ultrapassa a adequada eliminação dos resíduos e a sua incorporação no circuito económico promovendo a sua circularidade, sempre que possível.

baterias

Dar uma segunda vida à baterias usadas

A partir de módulos de carros usados, a EDP Inovação, juntamente com a Labelec, conseguiram construir uma bateria. O objetivo é que, nfuturo, estas baterias possam ser usadas, como se novas se tratassem.

gesso

Centrais Termoelétricas enquanto autênticas "fábricas de gesso"

Um bom exemplo do reaproveitamento de gesso é a Central Elétrica de Sines. Nesta central, reutilizamos este resíduo, que de outra forma seria depositado em aterros. Em 2017, para um consumo de carvão de 3,6 milhões de toneladas, foram produzidas 140 mil toneladas de gesso, vendidas depois no mercado nacional e internacional.

Central Carregado