24 Jun 2024
2 min

As comunidades de energia desempenham um papel fundamental na transição energética. Para maximizar o seu potencial, a EDP NEW está focada na construção de sistemas fotovoltaicos integrados, no armazenamento de energia e em plataformas digitais de partilha de energia, abrindo caminho para comunidades auto-suficientes.

À medida que as cidades se mobilizam em prol da sustentabilidade, as Comunidades de Energias Renováveis (CER) surgem como agentes fundamentais nesta transição, registando já um crescimento com potencial. Para capitalizar o potencial das RECs e assegurar a sua adoção em larga escala, a I&D está já a concentrar-se nos próximos avanços das CER. A EDP NEW trabalha atualmente com três tecnologias promissoras: Fotovoltaica Integrada em Edifícios (BIPV), armazenamento de energia e plataformas digitais para partilha de energia. Juntas, podem abrir caminho para comunidades sustentáveis e auto-suficientes.

Os sistemas BIPV são sistemas que incorporam materiais fotovoltaicos diretamente nos componentes do edifício (telhados, fachadas ou janelas) e são concebidos para se misturarem perfeitamente com os elementos arquitectónicos, expandindo a superfície disponível para a capacidade instalada descentralizada. No projeto POCITYF, coordenado pela EDP NEW, estão a ser instaladas e testadas soluções BIPV na cidade de Évora, património da UNESCO, juntamente com esquemas inovadores de autoconsumo coletivo. Apesar dos custos mais elevados e dos períodos de retorno mais longos, a tecnologia BIPV oferece uma solução promissora para descarbonizar os centros urbanos europeus historicamente protegidos.

pocityf solutions
Telhas fotovoltaicas - Integração da tecnologia BIPV nas telhas do edifício dos Paços do Concelho em Évora para produzir energia solar sem interferir com a arquitetura do edifício.

O desempenho energético das CER pode ser melhorado com tecnologias de armazenamento, tanto ao nível dos clientes (ligados atrás do seu contador) como ao nível da comunidade (instalados na rede de distribuição). Estas tecnologias podem maximizar o autoconsumo, armazenando os excedentes de produção em baterias ou utilizando-as para pré-aquecer/arrefecer um espaço e a água, e descarregando-as quando necessário. Permitem reduzir os custos de energia, carregando durante os períodos de preços baixos da eletricidade e consumindo/vendendo quando os preços são elevados. Estudos mostram que os custos da eletricidade podem ser reduzidos até 15% utilizando instalações de armazenamento numa CER. Além disso, quando forem criados mercados adequados, haverá receitas adicionais para as CER através da prestação de serviços de rede.

A digitalização é fundamental para maximizar todo o potencial das comunidades de energia, melhorando o seu funcionamento. Ao alavancar as capacidades de partilha de energia através da otimização digital, as comunidades podem atribuir e utilizar eficazmente as fontes de energia renováveis locais, impulsionando o autoconsumo e a autossuficiência. As plataformas digitais, como os inovadores mercados locais de energia entre pares, podem permitir a monitorização e a gestão em tempo real, dando aos clientes a possibilidade de participarem ativamente na tomada de decisões sobre energia.

second life battery
Bateria de segunda vida de um veículo elétrico, instalada em Évora no âmbito do POCITYF

Em suma, a integração de tecnologias avançadas como o BIPV e o armazenamento de energia, associada à digitalização e a plataformas inovadoras de partilha de energia, pode ultrapassar algumas das barreiras à adoção de comunidades energéticas e garantir um futuro sustentável e autossuficiente.

Continue a ler

Lisbon_sharingcities

Empowering citizens in energy transition

Energy poverty affects millions in the EU. Renewable Energy Communities may play a key role in providing affordable electricity and additional revenue for vulnerable communities. EDP NEW is leading projects to promote RECs and alleviate energy poverty.
evora-edp-pocityf_II

Unlocking new value through digitalisation

As energy communities become a focal point of research across Europe, EDP NEW has been working on developing innovative digital solutions that streamline the deployment and operation of RECs. Can these digital tools aid in facing the barriers installed and increase the adoption of RECs in Europe?