investidores

A quinta fase na privatização da empresa, realizada em finais de 2004, foi aprovada pelo Decreto-Lei nº 218-A/2004, de 25 de Outubro e consubstanciou-se num aumento de capital, realizado com o objectivo de financiar a aquisição de uma participação adicional na Hidrocantábrico, e uma Venda Directa de Referência. Os termos definitivos da operação foram estabelecidos pelas Resoluções do Conselho de Ministros nº 165/2004 e nº 166/2004, nomeadamente a definição da fórmula de cálculo da Venda Directa de Referência, através da qual se fixou o número de acções objecto desta venda em 205.274.906 acções que foram alienadas, através da EDP, à Cajastur.

Através desta operação o accionista Estado viu reduzida a sua participação (directa e indirecta) para cerca de 25,3%.

Em 29 de Julho de 2004 a EDP anunciou que iria reforçar a sua posição accionista na HidroCantábrico para 95,7%, através da aquisição de uma participação adicional de 56,2%, por um montante de 1,2 mil milhões de euros, financiado através de aumento de capital da EDP, que veio a ser integralmente subscrito e realizado.

A transacção foi comunicada à Comissão Europeia, tendo a Direcção Geral da Concorrência divulgado, em 9 de Setembro de 2004, a sua decisão de não oposição à operação.

No dia 4 de Novembro de 2004, na sequência de autorização aprovada em Assembleia Geral Extraordinária, realizada no dia 7 de Outubro de 2004, o Conselho de Administração da EDP deliberou a realização do aumento de capital, através da oferta pública de subscrição, reservada aos accionistas, de 656.537.715 novas acções como valor nominal de 1euro cada, ao preço unitário de 1,84 euros. O factor de conversão de direitos em novas acções estabelecido foi de 0,22, ou seja, cada conjunto de 50 direitos permitiram a aquisição de 11 novas acções ao preço unitário de subscrição de 1,84 euros.

Datas principais relativas à Oferta Pública de Subscrição:

Início de transacção das acções ex-rights:9 de Novembro de 2004

Período de subscrição: 12 a 25 de Novembro de 2004

Período de negociação de direitos: 12 a 19 de Novembro de 2004

Admissão à negociação das novas acções: 7 de Dezembro de 2004

A oferta pública de subscrição do aumento de capital da EDP foi totalmente subscrita pelo exercício de direitos e pelos pedidos suplementares de acções sobrantes. O montante de subscrições por exercício de direitos ascendeu a 624.365.827 acções, tendo sido pedidas 842.720.313 acções em rateio. Assim, a procura total ascendeu a 1.467.086.140 acções, equivalente a 2,23 vezes o montante total de acções oferecidas.

Como resultado desta operação, o Estado Português reduzido a sua participação (directa e indirecta) para cerca de 25,3%.