EDP leva 9 startups à Web Summit para primeira final mundial do Programa Starter

notícias edp

Web Summit

EDP leva 9 startups à Web Summit para primeira final mundial do Programa Starter

Segunda-feira 04, Novembro 2019

Novo programa da EDP de apoio à inovação e empreendedorismo terá pitch final perante milhares de pessoas, na maior cimeira europeia de inovação e tecnologia. CEO da EDP fará intervenção na Web Summit e a preocupação com a inovação aberta e a transição energética serão temas em destaque.

Pelo quarto ano consecutivo, a EDP volta a marcar presença na Web Summit, em Lisboa, levando à maior cimeira de empreendedorismo da Europa as suas preocupações com a inovação aberta, o apoio a startups e a necessidade de acelerar a transição energética.  

Estes serão três dos temas abordados na conversa entre Neanda Salvaterra, jornalista do Wall Street Journal, e o CEO da EDP, amanhã, dia 5, no palco Planet:tech, às 12h. A jornalista desafiou António Mexia a dar resposta a alguns dos maiores desafios atuais do planeta, numa conversa intitulada ‘Reshaping business to save the planet’.

Startups competem por prémio na Web Summit

Este ano, a EDP escolheu o evento para fazer a primeira grande final do Starter Acceleration Program, o novo acelerador mundial para startups do setor da energia, que vai trazer a Lisboa as nove melhores classificadas entre as 30 finalistas. Estas equipas, de países tão distintos como México, Reino Unido, Brasil, Estados Unidos ou Austrália, desenvolveram soluções para o setor elétrico ao longo do ano, em três módulos – na Europa, na América do Norte e na América Latina -, tendo sido escolhidas as equipas mais promissoras para virem fazer o pitch final num dos palcos da Web Summit, perante inúmeras potenciais oportunidades de negócio.

Este novo acelerador agregou num só programa global as várias ferramentas de aceleração de startups que a EDP tinha disponíveis nos países em que está presente. A final vai realizar-se na quarta-feira, 6 de novembro, às 16:30 horas, e será escolhido o melhor projeto entre, por exemplo, uma solução que vai apoiar a formação de técnicos de manutenção, uma plataforma de inteligência artificial que vai facilitar o contacto com o cliente, ou um software que vai melhorar a gestão da iluminação pública, entre outros. Para além dos 50 mil euros que vai receber o primeiro vencedor do Starter Acceleration Program, as nove startups terão um espaço próprio na Web Summit para poder apresentar-se ao mercado e realizar negócios.

Knockout pitch – apresentar-se à EDP num minuto

Também a EDP continua a procurar na Web Summit as soluções mais inovadoras e que acrescentem valor aos negócios do grupo. Depois de ter elevado as ideias das startups a outro patamar, no ano passado, com o EDP Elevator Pitch, este ano quem quiser apresentar-se à empresa terá de aceitar o desafio de entrar num ringue de boxe e, num minuto, apresentar ideias inovadoras e que deixem a EDP knockout. A partir do conceito mindblowing ideas, a EDP quer ouvir as ideias das startups que se quiserem arriscar a fazer o pitch desta forma inovadora. Em causa, está a oportunidade de trabalhar com um dos maiores players mundiais, líder nas energias renováveis.

As ideias mais convincentes terão depois reuniões aprofundadas com a equipa da EDP Inovação, que estará na Web Summit para avançar com oportunidades de negócio e possíveis investimentos. Este ano, a EDP estará focada em projetos de cibersegurança, inteligência artificial aplicada ao setor da energia, soluções para casas inteligentes ou para acelerar a mobilidade elétrica. Através da EDP Ventures, o grupo tem três fundos de investimento disponíveis: um para startups nacionais, outro para projetos no Brasil e um terceiro global, tendo atualmente disponíveis 35 milhões de euros para investir nos projetos mais aliciantes.

Na edição do ano passado, a EDP ouviu 170 startups e, dessas, selecionou 32 para reuniões aprofundadas sobre o negócio. No total, desde que a Web Summit chegou a Portugal, mais de 460 startups puderam apresentar as suas ideias à EDP durante os dias do evento, numa oportunidade única de fazer contacto com uma empresa que está presente em 16 países e que tem mais de 11 milhões de clientes.

Lista de startups que vão à Web Summit com a EDP:

  • Barbara Iot (Espanha): plataforma para gestão e operação de dispositivos IoT, permitindo às empresas gerir todo o ciclo de vida dos dispositivos de forma simples e segura.
  • OrxaGrid (Reino Unido): Desenvolveu solução de análise preditiva, em conjunto com sensores IoT, que vai permitir reduzir perdas nas redes elétricas e aumentar a sua eficiência e detetar fraudes na rede elétrica.
  • Meazon (Grécia): Desenvolveram uma plataforma IoT e sensores para gestão inteligente de energia, que será testada na gestão da iluminação pública
  • Colabapp (Brasil): Desenvolveu plataforma de comunicação entre o cliente e as entidades responsáveis por determinados ativos, como redes de distribuição de energia, telecomunicações ou redes de água, para dar feedback sobre eventuais problemas nos serviços. Plataforma dará recompensa aos clientes pelo feedback prestado.
  • Loud Voices (Brasil): Criou plataforma de comunicação entre humanos e robots, com utilização prática em contact centers.
  • Trato (México): desenvolveu uma plataforma digital de gestão de contratos, baseada na tecnologia blockchain, com assinatura digital, para facilitar todo o processo de procurement.
  • HESS (Espanha): Desenvolveu software que vai fazer a gestão entre a produção de energia renovável, como é o caso do solar, e o seu armazenamento em baterias.
  • LExx (Austrália): desenvolveu um assistente inteligente para a formação de técnicos de manutenção que permite, de forma orientada e organizada, fornecer todo o conhecimento necessário ao desempenho das funções do técnico.
  • Shifted Energy (EUA): Produto desenvolvido permite tornar os termoacumuladores clássicos em unidades de armazenamento de energia. Agregados no mesmo sistema, podem servir para armazenar energia em escala significativa.

  • Sepio Sistems (Israel): startup que desenvolveu um software para detetar, identificar e bloquear dispositivos maliciosos. Até ao momento, esta startup recebeu um investimento total da EDP Ventures de 800 mil dólares.