Política de Investimento Social

princípios e políticas

Política de Investimento Social

A presente política estabelece os objectivos e as estratégias corporativas referentes ao Investimento Social da EDP que se expressa em programas e actividades de Responsabilidade Social na sociedade através de iniciativas próprias e colaborativas, donativos e voluntariado.

Referências Externas

Esta política aplica os princípios e metodologias referidos nos seguintes documentos:

1. ISO 26000 – Responsabilidade Social Empresarial
2. Principles for Social Investment – Nações Unidas
3. Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – Nações Unidas
4. Directrizes da Global Reporting Initiative (GRI)
5. LBG – Measuring Community Investment

Referências Internas

Esta política deve ser interpretada em conjunto com as seguintes políticas e compromissos da EDP:

1. Princípios de Desenvolvimento Sustentável
2. Política de Relacionamento com Stakeholders
3. Código de Ética
4. Guia de Materialidade
5. Programa de Voluntariado
6. Compromisso da EDP com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável
7. Estatutos das Fundações

Definições

Investimento Social: são as contribuições financeiras e não-financeiras que comprovadamente ajudam as comunidades locais e as sociedades mais amplas a abordarem as suas prioridades de desenvolvimento.

Objectivos

Os programas e actividades de Investimento Social da EDP são orientados para objectivos sociais integrados em uma ou várias das seguintes prioridades:

a) Promover o acesso à cultura e à arte e proteger o património cultural

b) Promover a inclusão social e a adopção de modos de vida sustentáveis, valorizando a inclusão energética e o acesso à energia

c) Proteger o património natural e a biodiversidade

d) Promover a eficiência energética, a energia renovável e a descarbonização

Compromissos

No desenvolvimento da sua actividade de Investimento Social, o Grupo EDP compromete-se a:

1. Criar valor para os stakeholders e para o Grupo EDP, através de programas e actividades de Investimento Social, que conjuguem a satisfação de necessidades sociais e as necessidades e temas centrais de cada negócio.

2. Actuar de acordo com os Princípios de Responsabilidade Social (ISO 26000) e os Princípios de Investimento Social das Nações Unidas de Relevância, Responsabilização, Transparência, Conduta Ética e Respeito.

3. Promover a melhoria contínua do desempenho dos programas mediante a definição de planos, objectivos e metas, numa óptica de médio e longo prazo, e do estabelecimento de critérios adequados para a selecção, desenvolvimento, monitorização e avaliação de resultados, – utilizando uma metodologia corporativa de avaliação de benefícios para a sociedade e para o negócio, internacionalmente reconhecida.

4. Verificar e auditar o adequado cumprimento da Política de Investimento Social.

5. Definir políticas de recursos humanos e disponibilizar adequados meios de comunicação, estruturas organizativas, recursos financeiros, bens e serviços para o desenvolvimento dos programas e actividades.

6. Comunicar pública e transparentemente a sua política de Investimento Social, os seus programas e o desempenho alcançado.

Estratégias

Os objectivos e compromissos definidos devem ser implementados através das seguintes linhas estratégicas:

1. Desenvolver programas próprios e colaborar em actividades de terceiros alinhadas com os objectivos e compromissos de Investimento Social do Grupo EDP.

2. Potenciar o voluntariado corporativo mobilizando as competências das unidades de negócio e dos colaboradores.

3. Potenciar o envolvimento do Terceiro Sector e a colaboração multistakeholders no desenvolvimento dos programas.

4. Valorizar a educação e a consciencialização como vectores essenciais de concretização dos objectivos.

5. Desenvolver programas dirigidos às comunidades locais nas áreas de influência dos centros produtores, nas áreas de concessão de distribuição e nas comunidades de clientes.

6. Garantir a reputação dos programas de investimento social e potenciar o reconhecimento do Grupo EDP

Esta política foi aprovada pelo Conselho de Administração Executivo da EDP- Energias de Portugal, S.A (CAE) em 16 de Maio de 2017.