histórias edp

De acordo com a Comissão Europeia, cerca de 11% da população da União Europeia - 54 milhões de pessoas - vive em pobreza energética. Ultrapassar este valor é, portanto, um desafio transversal e cuja resolução não deve conhecer fronteiras.

Em Espanha, os relatórios mais recentes apontam melhorias na erradicação da pobreza energética em 2019, no entanto, 17% da população espanhola continua a ter gastos desproporcionados com a energia e 8% assume dificuldades em manter a sua casa à temperatura adequada.

Os vizinhos costumam partilhar salsa, uma pitada de sal, um pacote de arroz ou um pacote de leite - para responder a necessidades de última hora porque os supermercados da zona já fecharam todos. Agora, partilharem energia?

Sim, é verdade. Assim é a boa vizinhança de um bairro em Saragoça, Espanha. Foi aí que nasceu o Bairro Solar, um projeto-piloto da EDP, desenvolvido em parceria com a EDP España e a ECODES (uma ONG espanhola que trabalha no âmbito da eficiência energética), em conjunto com a Câmara Municipal de Saragoça. Desta parceria, nasceu o projeto para desenvolver a primeira instalação coletiva de autoconsumo solar em Espanha, que promoverá o uso compartilhado de energia renovável e solidária e será depois replicado em outras cidades espanholas.

Será através de um conceito inovador de geração de energia distribuída, com a instalação fotovoltaica no telhado de um prédio municipal, que o primeiro Bairro Solar servirá os seus residentes e as empresas locais com energia mais barata e renovável. Esta instalação terá cerca de 300 painéis com uma potência instalada de 100 KWp, suficiente para produzir 150.000 kWh por ano, o que permitirá uma redução de 40.000 kg de emissões de CO2 durante esse período. Isto será o mesmo que dizer que o impacto da qualidade do ar neste Bairro Solar será semelhante ao gerado por 3.000 novas árvores.

paineis

Com um investimento de 200 mil euros, a instalação deste serviço começará no verão de 2021, prevendo-se que no próximo outono os painéis já estejam a funcionar em pleno. Os vizinhos podem usufruir desta energia partilhada, sem terem que fazer nenhum tipo de investimento ou qualquer instalação nas suas casas, desde que estejam a menos de 500 metros do prédio municipal onde as placas serão instaladas. O serviço está disponível tanto para clientes da EDP como para clientes de outras empresas, mediante a contratação de um serviço com uma taxa mensal, mais vantajosa do que ter de fazer o investimento inicial.

A participação neste Bairro Solar permite uma poupança de 30% na fatura da eletricidade de cerca de 150 a 200 residências e pequenas empresas. Destas famílias beneficiárias, 10% serão famílias mais vulneráveis que estarão isentas do pagamento da sua mensalidade.

“Além deste modelo de negócio, sustentável e mais vantajoso para o cliente, temos também um enfoque solidário nesta ação. A Câmara de Saragoça identifica as famílias carenciadas da zona e essas famílias poderão usufruir da energia solar, sem qualquer custo. A Fundación EDP España também foi chamada ao projeto para, mais uma vez, trabalhar a eficiência energética desses mesmos clientes”, explica Vanda Martins, diretora geral da Fundación EDP España. Ou seja, a Fundación EDP España juntou a esta experiência piloto o seu programa Energia Solidária, que permitirá também auditorias técnicas, certificados energéticos, inspeções técnicas ou a substituição de equipamento básico, como LEDs, radiadores ou caldeiras, nas habitações que beneficiam da energia do Bairro Solar. Será ainda criado um “Gabinete Bairro Solar” para desenvolver diversas iniciativas de sensibilização, educação e aconselhamento ambiental e energético, que estará aberto a todos os residentes.

“É uma lógica win-win. Por um lado, os clientes vulneráveis têm energia solar gratuita e, por outro, contam com medidas de eficiência energética para lhes reduzir a fatura durante a noite, quando não há produção de energia solar”, continua Vanda Martins. Aqui, o foco não é só ajudar, mas também sensibilizar para a mudança dos hábitos de consumo energético.

Energia Solidária: à luz da eficiência e da sustentabilidade

O Bairro Solar é apenas um dos mais recentes projetos a que a Fundación EDP España se associou, mas há outros que importa destacar na área social. Em 2015, lançaram-se dois grandes programas de responsabilidade social que têm, desde a sua génese, um enfoque na eficiência energética e nas energias renováveis. Comecemos pelo já referido Energia Solidária, um projeto em colaboração com a organizações não governamentais (ONG), como a Cáritas e a Cruz Vermelha, neste caso específico, e que procura promover a eficiência energética e a sustentabilidade através de várias iniciativas, com o envolvimento das diferentes áreas de negócio da EDP e dos seus colaboradores voluntários.

O seu principal objetivo é aumentar a segurança, bem-estar e eficiência energética das famílias mais vulneráveis, identificadas pela Cáritas e pela Cruz Vermelha. “Depois, a Fundación EDP, em sinergia com o Programa de Voluntariado EDP e os colaboradores voluntários, presta serviços aos clientes, faz uma auditoria energética nas habitações dessas famílias. Com base nessa auditoria, é preparado um relatório que diz como se deve atuar em cada uma dessas casas, em prol da eficiência energética, para uma maior segurança e também um maior conforto. Se é preciso substituir as lâmpadas ou os eletrodomésticos por outros mais eficientes, fazer uma revisão do quadro elétrico, entre outras ações”, explica Vanda Martins.

A par da execução deste plano que incrementa a vida destas famílias mais vulneráveis das Astúrias, País Basco, Madrid e outras zonas importantes para a EDP há também uma educação energética, uma sensibilização a nível de eficiência energética. “Nesse sentido, damos formação às famílias e às próprias ONG, explicamos-lhes como mudar hábitos de consumo, comportamentos e aconselhamos outras medidas de poupança. Sem isso, não se consegue fazer a mudança de poupança efetiva”, explica Vanda Martins. Por exemplo: “com o Banco Alimentar das Astúrias a Fundación investiu 17 mil euros e esta ONG conseguiu uma redução na fatura energética de 60% no consumo. Essa poupança permitiu-lhes alocar investimento na sua atividade principal. Em média, conseguimos uma redução no consumo de 80% na eletricidade e 25% no gás, o que é muito positivo”, conclui Vanda Martins.

"Em média, conseguimos uma redução no consumo de 80% na eletricidade e 25% no gás, o que é muito positivo”

Vanda Martins, Diretora Geral da Fundación EDP España

Vanda Martins

Desde 2015, “esta iniciativa já apoiou mais de 330 famílias e 69 instituições, às quais atribuiu um total de cerca de 780.500 euros, a que se juntou a força voluntária de 130 colaboradores da EDP, beneficiando assim mais de 70 mil pessoas”, refere Vanda Martins, da Fundación EDP España.

Já em 2021, a Fundación EDP [Espanha] assinou um protocolo com a Cáritas Espanha e a EDP Comercial Espanha, enquadrado no Energia Solidária.

A Cáritas contratou a instalação solar da EDP Comercial, em modo de serviço (prestações mensais), beneficiando da poupança proporcionada. Estas poupanças são sempre mais elevadas do que as prestações que pagam, pelo que há sempre uma poupança líquida desde o início. Além disso, a Fundación EDP [Espanha], assume as primeiras 12 prestações.

No fundo, é contribuir para melhorar a qualidade de vida dos habitantes mais vulneráveis de zonas onde a EDP desenvolve a sua atividade, através do apoio a projetos sustentáveis que contribuem para melhorar o meio ambiente, reduzir as desigualdades e caminhar para uma sociedade mais justa, equitativa e socialmente responsável.

Educar energeticamente, com responsabilidade social

Paralelamente, com o mesmo propósito de promover a eficiência energética e o acesso à energia, a Fundación EDP tem vindo a apoiar, através do EDP Solidária várias iniciativas. “Este é um programa que tem como objetivo contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, sobretudo em regiões onde a EDP desenvolve a sua intervenção, apoiando projetos promovidos por organizações sem fins lucrativos”, explica Vanda Martins.

Atualmente, há três grandes áreas de atuação do EDP Solidária: cuidados para os idosos, luta contra o despovoamento e o desenvolvimento rural e acesso à energia e promoção da eficiência energética. As ONG que concorrem aos apoios têm que apresentar projetos sustentáveis, em que a eficiência energética possibilite depois uma poupança considerável que permita alocar esse retorno à sua missão principal e, ao mesmo tempo, possam criar emprego e sensibilizar a sociedade para a poupança.

Alguns dos projetos neste âmbito, que ajudam a combater a precariedade energética e promovem a melhoria do uso das fontes de energia, são: “Eficiência Energética: uma oportunidade para o emprego de jovens em situação de vulnerabilidade”, da Fundación Tomillo (Comunidade de Madrid), “Remodelação e eficiência energética para o Centro de pessoas sem-abrigo Aize Onak”, do Centro Lagun Artean (País Basco) ou “Promover o emprego verde e social para combater a pobreza energética”, da Fundación ECODES (Aragão).

Paineis

Durante um ano, os projetos escolhidos são acompanhados na sua execução pelas equipas de voluntariado da EDP Espanha e Energias Renováveis, que acabam por ser os interlocutores da Fundación EDP.

Desde 2015, que o EDP Solidária já apoiou mais de 120 projetos em Espanha, aos quais atribuiu um total de mais de 3 milhões de euros, que beneficiaram mais de 200 mil pessoas.

Ainda em outubro de 2020, por exemplo, a Fundación EDP lançou o EDP Solidária Covid-19 para fazer frente à grave crise social e económica gerada pela pandemia. Temporariamente, o foco do programa EDP Solidária centra-se na resposta às consequências da crise criada por este contexto pandémico, tendo um aumento no montante global de apoio de 800 mil euros.