Programa do Fundo de Acesso à Energia
Projetos 2019/2020

Estamos empenhados em promover o Acesso à Energia.

A edição de 2019/2020 tem um orçamento de 500.000€. Os projetos submeteram candidaturas a financiamentos de  € 25,000 a € 100,000.

O Fundo assumirá os custos do projeto: até 75% do total, para entidades sem fins lucrativos; e até 50% do total, para entidades com fins lucrativos.

Conheça os projetos selecionados:

Energia e Educação

 

Promotor do Projeto:

Salesians of Don Bosco

Nigéria, Onitsha Anambra

Melhoria da vida de jovens, mulheres e crianças pobres e vulneráveis, fornecendo acesso à energia solar para melhorar o desenvolvimento económico de comunidades pobres, na Nigéria.

As quedas de energia regulares obrigam as instituições a apostar em geradores a diesel. Não só os custos com o diesel, mas também o ruído e a poluição do ar libertados por esses geradores provaram ser prejudiciais à saúde das pessoas.

O centro de TVET Don Bosco, na Nigéria, promove a formação técnica e vocacional de muitos estudantes. São 2770 as pessoas diretamente afetadas pelas frequentes quedas de energia no centro durante as formações, no abastecimento de água e noutras atividades que são constantemente interrompidas por estes fenómenos.

O fornecimento de energia solar surge como forma de combater estas falhas de energia, bem como a criação de uma oficina solar que irá promover a formação dos jovens técnicos em energia solar. Esta irá estimular a aprendizagem na escola secundária evitando dificuldades desnecessárias nas suas atividades e, no geral, melhorando toda a produtividade do centro.

Além disso, a implementação de instalações de energia solar no Centro irá permitir uma poupança de custos significativa, irá melhorar a saúde ambiental, melhorar os padrões de vida e reduzir o desemprego, através do apoio de pequenas empresas no negócio da produção e da instalação de energia solar

Saiba mais sobre o Salesians of Don Bosco Nigeria.

Potência instalada: 10 kWp

Beneficiários: 2700 diretos e 7000 indiretos

Resultados esperados:

  • Desenvolvimento de um workshop sobre energia solar/ energia renovável
  • Melhoria da formação e educação de jovens técnicos em energia solar (eletricistas e especialistas em sistemas solares elétricos)
  • Poupanças substanciais em geradores a diesel que podem ser aplicadas em várias atividades do Centro
A2E-projetos-dom-bosco

 

Promotor do projeto:

Center Narovinu Kenya

QuéniaIlha Rusinga (Lago Vitória)

Energia Solar para a Island of Hope (Ilha da Esperança)

O "Island of Hope" é um centro comunitário na ilha de Rusinga, que cuida de órfãos, crianças vulneráveis ​​e famílias pobres. Está em operação há 15 anos tendo apoiado diretamente mais de 600 famílias residentes desta ilha, que vivem isoladas e sem acesso aos serviços de primeira necessidade, como eletricidade, estradas, água potável e muitos outros considerados necessários na nossa sociedade moderna. A eletricidade surgiu nesta ilha pela primeira vez há apenas 5 anos, e hoje, mais de 95% das famílias continuam sem acesso. Atualmente a ilha sofre de falhas de energia com a duração de 4 horas por dia.

A ligação do seu laboratório de informática a um sistema solar irá garantir que as aulas dos alunos não sejam interrompidas por falta de energia. Sendo uma organização sem fins lucrativos, o uso de energia renovável também irá reduzir drasticamente os custos operacionais do Center Narovinu e os custos mensais de eletricidade. O projeto irá beneficiar diretamente cerca de 450 alunos desta escola e uma equipa de mais de 60 pessoas que trabalha diariamente no centro. Esta é a única escola da ilha que possui um laboratório de informática, e o seu propósito é usá-lo para fornecer serviços pagos, como cursos de informática para os habitantes locais e serviços de internet. Esta atividade irá exigir o constante fornecimento de energia para permitir os melhores serviços.

O projeto consiste na instalação de painéis solares em série/ ligação paralela. Na sua capacidade total, o sistema proposto fornecerá eficazmente as necessidades de energia das áreas-alvo do projeto, eliminando a necessidade de utilização de eletricidade da rede elétrica.

O laboratório de informática irá funcionar 8 horas por dia, de segunda a sábado, e isso irá resultar num aumento do número de alunos matriculados nas aulas de informática, e permitir à "Island of Hope" diversificar os serviços disponíveis através deste laboratório de informática. Os serviços que o laboratório de informática oferece serão pagos e irão contribuir para os fundos dos projetos do Centro Narovinu, garantindo que os valores praticados serão bastante acessíveis a todos os membros da comunidade.

Saiba mais sobre o Center Narovinu Kenya.

Potência instalada: 20 kWp

Beneficiários: 510 diretos and 1400 indiretos

Resultados esperados:

  • Produção de energia suficiente para as 11 salas de aula, para as salas de administração e para o laboratório de informática (50 computadores)
  • Criação de um negócio de oferta de Internet para a comunidade
  • Redução nos custos de energia (rede de geradores)
projetos-centro-narovitu

 

Promotor do projeto:

Grupo de reabilitação Dandora Dumpsite (DADREG)

Quénia, Nairobi, bairro Dandora

Abastecimento de energia do Centro de formação da comunidade DADREG

Nos bairros de Dandora, a maioria dos jovens trabalha no aterro tóxico por não terem as qualificações necessárias para competir com outros no mercado de trabalho. Devido à pobreza, os jovens abandonam a escola para trabalhar nestes aterros em idades muito jovens. Atualmente não existem centros em Dandora onde os jovens possam trabalhar nas suas competências para obter um emprego remunerado. Também não existem espaços públicos onde crianças e jovens possam passar o tempo dedicado à leitura ou onde se possam envolver e associar a questões de grande relevância para a sua comunidade. Os bairros de Dandora não têm escolas suficientes para acomodar crianças de famílias mais pobres.

Com o objetivo de proporcionar um espaço onde os jovens que desistem da escola pudessem trabalhar as suas competências vocacionais e de empreendedorismo, as embaixadas do Japão, da Irlanda e da Alemanha em Nairobi ofereceram financiamento ao DADREG para construir um Centro de Formação Comunitário, devidamente equipado, como forma de potencializar estas formações. O equipamento doado terá de ser alimentado a energia, pois a maioria dos cursos serão práticos, incluindo estudos de informática, soldagem, eletricidade, cabeleireiro, alfaiataria e encanamento.

Para que o projeto se torne sustentável, é necessário ter uma fonte de alimentação auto-suficiente, acessível e interrompida, capaz de abastecer o Centro, garantido o acesso dos jovens à aprendizagem de novas competências tornando-os competitivos na procura de um emprego remunerado. Irá oferecer um espaço para os alunos estudarem e praticarem, oferecendo em simultâneo à comunidade um espaço para interação. Isso só pode ser possível através do uso de energia verde renovável que fará com que o DADREG sustente os projetos da comunidade por muito tempo sem se preocupar com os custos de energia elétrica, uma vez que a organização é uma organização sem fins lucrativos.

Saiba mais sobre o DADREG.

Potência instalada: 15 kWp

Beneficiários: 6800 diretos e 24620 indiretos

Resultados esperados:

  • O acesso diário de 980 jovens à área profissional e de empreendedorismo das 12 salas de aula em 2 escolas, com eletricidade
  • Melhorar a qualidade da formação dos 1200 estudantes do centro comunitário DADREG e oferecer a possibilidade de cozinhar as suas próprias refeições para que as crianças não procurem comida no aterro
  • 74 jovens terão acesso a salas para desenvolverem as atividades à noite (teatro, dança, música)
  • 120 membros da comunidade terão acesso a um espaço para reuniões e eventos durante a noite
  • Redução do custo da eletricidade em 70%
dadreg-projetos-a2e

Energia e Saúde

 

Promotor do projeto:

Aga Khan Health Services

Tanzânia, Hospital Aga Khan, Mwanza

Interruptor Solar de Mwanza

Os hospitais dependem dee máquinas que salvam vidas - das pequenas às mais avançadas para ajudar a cuidar dos pacientes. Todos eles dependem de energia, tornando o fornecimento de energia uma questão muito importante para a equipa de profissionais de saúde e os pacientes do hospital. A inconsistência no fornecimento pode danificar equipamentos médicos caros ou atrasar os tratamentos, o que pode afetar bastante a qualidade do atendimento aos pacientes.

O Centro Médico Aga Khan de Mwanza (AKMCM), recentemente expandido e atualizado para nível hospitalar, sofre frequentes cortes de energia todos os meses, que às vezes duram até oito horas. Esta situação não só afeta o atendimento aos pacientes, mas também no uso adicional e excessivo de combustíveis fósseis para acionar os geradores por períodos de tempo mais longos. Em média, o centro consome e faz a combustão de, aproximadamente, 1.440 litros de diesel, tendo um custo mais de 1000 euros por mês.

O projeto propõe a instalação de painéis solares para gerar eletricidade para o hospital. O fornecimento consistente evitará danos ao equipamento e interrupção dos serviços para os pacientes, protegerá o meio ambiente e resultará na redução nos custos de energia. O projeto ajudará o Hospital Aga Khan, em Mwanza, a tornar-se mais produtivo e eficiente, o que tem impactos positivos mensuráveis e importantes sobre a equipa, os pacientes e a comunidade.

Saiba mais sobre o Aga Khan Health Service.

Potência instalada: 40 KWp

Beneficiários: um milhão de utilizadores por ano

Resultados esperados:

  • Gerar eletricidade constante, sustentável e limpa, mantendo o alto padrão de cuidados para com os pacientes
  • Redução do custo de energia (eletricidade e diesel)
aga-khan

Energia, Água e Agricultura

 

Promotor do projeto:

UNICEF

(Unicef Espanha)

MaláuiNsanje, Distrito da região do sul de Maláui

Sistema de abastecimento de água resistente ao clima para Escolas e Comunidades em Nsanje

Atualmente, muitas crianças, incluindo aquelas que passam a maior parte do tempo na escola, não têm acesso a água potável e permanecem expostas a doenças como diarreia, disenteria e cólera. O fornecimento de água potável nas escolas é fundamental para a redução da carga de doenças e para a promoção da educação. Atualmente, o abastecimento de água está entre os fatores que contribuem para os baixos níveis de frequência e retenção escolar.

Em Maláui, apenas 82% das escolas têm acesso a água potável e estima-se que mais de 30% dos pontos de água melhorados nem sequer estão funcionais, reduzindo assim a cobertura efetiva. A maioria da população e das escolas depende de águas subterrâneas, com a maioria dos poços fornecidos através de bombas manuais que não são adequadas para as configurações de poços profundos.

Com este projeto, a UNICEF visa melhorar o acesso à água potável de gerida de forma segura, para as comunidades e escolas. O sistema de água movido a energia solar é uma solução tecnológica de confiança, sustentável, fácil de usar e ecológica para as comunidades rurais, e com o devido armazenamento adequado oferece os seguintes benefícios adicionais:

  • Acesso ao abastecimento de água gerido com segurança, maior facilidade de acesso para mulheres e crianças
  • Libertar o tempo das mulheres para outras atividades
  • Liberdade para as crianças estudarem e frequentarem a escola
  • Eliminar a poluição proveniente da combustão de combustíveis fósseis

Saiba mais sobre a UNICEF (Espanha).

Potência instalada: 1.8 kWp

Beneficiários: 6000 diretos

Resultados esperados:

  • Construção de dois poços para abastecimento de água
  • O acesso a água potável, por parte de 2000 crianças de 2 escolas primárias
  • O acesso a água potável por parte das 4000 residentes das comunidades vizinhas 
  • A criação de 2 conselhos de gestão de água e a formação de 4 membros das comunidades como operadores
water-pump-a2e

 

Promotor do projeto:

Kar-Geno Centre for Hope

Quénia, vila Mabinju, na província de Siaya

Implementação de um Sistema de Irrigação Sustentável em Mabinju

Em Mabinju, a agricultura é a principal atividade económica, onde 95% dos lares dependem dela para subsistência e rendimento. Os agricultores dependem das chuvas para irrigar as suas plantações. Durante as duas estações chuvosas da região, de março a maio e de outubro a novembro, a agricultura é capaz de sustentar toda a população da vila.

Aproximadamente 40% da produção agrícola é consumida para sobrevivência das famílias dos agricultores e 60% é vendida para obter rendimentos extra e diversificar a dieta. Supondo que a produção agrícola durante a estação chuvosa seja de 100%, a produção durante a estação seca é de apenas 10% a 20% para quintas situadas na margem do lago e ainda mais baixa para quintas mais afastadas do lago.

O principal objetivo deste projeto é implementar o primeiro sistema de irrigação gota a gota movido a energia solar, com a finalidade de irrigar pelo menos 12 hectares de terras agrícolas, o que irá beneficiar aproximadamente 1000 a 1200 pessoas da População agrícola de Mabinju. Um sistema de irrigação poderá aumentar a produção agrícola durante a estação seca entre 90% a 110%.

Saiba mais sobre o Kar-Geno Centre of Hope.

Beneficiários: 1200 diretos a 3000 indiretos

Resultados esperados:

  • 10 esquemas de irrigação por gota a gota e 2 tanques de água para 10 grupos de agricultores
  • 1/3 das famílias com terras agrícolas abrangidas
  • Melhoria da produção agrícola, aumento de rendimentos e segurança alimentar
  • Beneficiar o segmento mais vulnerável da população
kar-geno-projetos-a2e

Promotor do projeto:

VIDA - Voluntariado Internacional para o Desenvolvimento Africano

Moçambique, Comunidade Djabula, Distrito de  Matutuine

Melhorar a qualidade de vida no Distrito de Matutuine, através da segurança alimentar, reflorestamento e geração de rendimentos

O objetivo da VIDA é transformar o CDCD (Centro de Desenvolvimento Comunitário de Djabula) num Centro de Experimentação Ambiental e um centro de referência em sistemas agroflorestais e reflorestamento. Atualmente, Matutuine está exposta a mudanças climáticas severas e, ano após ano, regista uma diminuição das chuvas durante a estação chuvosa, o que afeta diretamente a agricultura, que é a principal atividade das famílias locais.

Neste projeto, pretende-se melhorar a condição do CDCD através da energia solar para atingir o objetivo definido. A VIDA irá instalar um sistema de irrigação gota a gota, no viveiro florestal, no sentido de melhorar a eficiência do uso da água e da produção de árvores para reflorestamento e segurança alimentar. Por outro lado, com acesso à energia, poderão oferecer mais informações diversas, através da projeção de documentários durante as oficinas comunitárias. Também oferece a possibilidade de acesso permanente a essas informações, através de computadores. Com energia no edifício multiusos, os trabalhadores (artesãos) poderão usar ferramentas elétricas para melhorar a sua produção e aumentar o seu valor.

A VIDA também pretende reativar o apiário, onde os produtores locais poderão levar as suas colmeias para a extração de mel através de um processo semi-industrial. Este novo método irá originar rendimentos mais altos do que através dos métodos tradicionais utilizados atualmente.

Saiba mais sobre a VIDA.

Potência instalada: 2.25 kWp

Beneficiários: 25 diretos e 4060 indiretos

Resultados esperados:

  • Aumento da produção vegetal no viveiro florestal
  • Bombeamento de água
  • Aumento da produção de mel
  • Maior acesso a informações sobre florestação, sistemas agroflorestais e segurança alimentar
vida1

 

Promotor do projeto:

aQysta BV

Maláui, Distritos de Blantyre, Zombas eThyolo 

EASI-WATER, EASI-PAY: Viabilizar uma abordagem comercial à agricultura aos agricultores rurais de Maláui

A agricultura no Maláui é um desafio. Mais de 80% da população possui uma quinta própria e depende dela para a sua própria subsistência. A época das chuvas é mais importante, pois os agricultores cultivam o seu principal alimento: o milho. A agricultura durante a época seca é apenas uma possibilidade para aqueles cuja terra está situada ao longo de um rio, lago ou canal de irrigação. A maioria dos agricultores, no entanto, não pratica a irrigação na época seca devido aos altos riscos financeiros envolvidos no bombeamento, através de bombas diesel ou solares (risco de perda do investimento inicial em caso de falha na colheita).

O projeto proposto permitirá que 250 pequenos agricultores pratiquem agricultura irrigada durante a época seca (cultivo de culturas comerciais) e a época chuvosa (irrigação suplementar de culturas básicas) por meio desta inovadora tecnologia de irrigação. A Barsha Pump é uma bomba de água hidroelétrica (gera uma pressão igual a 100 W ou 72kWh por mês) que eleva a água dos rios ou canais recorrendo apenas à energia presente no fluxo de água. A bomba Barsha tem capacidade para bombear água até 40 metros de altura, ou até 2 km para o interior, e distribui a água sobre a terra dos agricultores por meio de irrigação gota a gota.

A Barsha Pump aborda as restrições financeiras dos agricultores quando o equipamento é alugado através do Pay-As-You-Harvest ou Pay-As-You-Use, enquanto a bomba não implica nenhum custo operacional e de manutenção. Além disso, os agricultores que fazem uso de esquemas Pay-As-You-Go recebem uma garantia da sua produção e recebem aconselhamento gratuito sobre o uso otimizado da bomba e a gestão da sua colheita.

Saiba mais sobre a aQysta BV.

Beneficiários: 250 diretos e 2000 indiretos

Resultados esperados:

  • 50 bombas Barsha e 50 kits de irrigação instalados
  • Capacidade renovável instalada de 3.600 kWh por mês, com base numa capacidade de energia renovável instalada de 6 kW que pode ser usada 24/7
  • Cada bomba Barsha evita a emissão de 0,8 t CO2 / ano
  • Até 150% de rendimentos por parte do agricultor
  • Criação de 15 postos de trabalho
basha-pumps-projetos-a2e